Negócios

CEO da Fiat Chrysler diz não planejar outra oferta à GM

Concorrente norte-americana rejeitou proposta quatro meses atrás


	Sergio Marchionne, CEO da Fiat Chrysler: ele tem procurado convencer concorrentes que a indústria automobilística precisa de outra rodada de consolidação
 (Alessia Pierdomenico/Bloomberg)

Sergio Marchionne, CEO da Fiat Chrysler: ele tem procurado convencer concorrentes que a indústria automobilística precisa de outra rodada de consolidação (Alessia Pierdomenico/Bloomberg)

DR

Da Redação

Publicado em 15 de julho de 2015 às 10h54.

Milão - O presidente-executivo da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), Sergio Marchionne, não planeja fazer outra oferta de fusão com a General Motors depois de rejeitada pela concorrente norte-americana quatro meses atrás, citou o jornal The New York Times.

Marchionne tem procurado convencer concorrentes e investidores que a indústria automobilística precisa de outra rodada de consolidação para repartir os custos de desenvolvimento de carros mais ecológicos e inteligentes.

Em março, ele enviou um e-mail a Mary Barra, sua contraparte na GM, com a proposta de fusão que foi rejeitada.

Entretanto, Marchionne acrescentou que ele não estava desistindo de sua campanha para reduzir o número de atores neste mercado.

"O problema é que há uma maneira melhor de gerir esse negócio," disse ele. "Vou esperar, e assim a gente vai conseguir fazer isso." Os comentários de Marchionne sobre a GM parecem contrastar com aqueles feitos pelo presidente do Conselho da FCA, John Elkann, que contou ao Wall Street Journal em entrevista no começo deste mês que ele não estava desistindo de formar uma parceria com a General Motors.

A Fiat Chrysler não pôde ser imediatamente contatada para comentar o caso.

Acompanhe tudo sobre:ChryslerEmpresasEmpresas americanasEmpresas italianasFiatGM – General MotorsMontadoras

Mais de Negócios

Startup do Paraná que ajuda call center a ligar para você compra empresa e mira R$ 100 milhões

Eles voltaram: depois de Floripa e POA, patinetes desembarcam no Rio e irão chegar a São Paulo

O bilionário de 80 anos que ficou US$ 40 bilhões mais rico num ano – e US$ 2,8 bi mais rico em 24h

Como o chef João Diamante está ajudando a mudar o mundo por meio da alimentação

Mais na Exame