Acompanhe:
seloNegócios

Em um retorno à época do Blackberry, os provedores de serviços de telecomunicações veem um forte crescimento das empresas que distribuem telefones aos funcionários. O fenômeno, que começou durante a pandemia, aumentou recentemente graças a novas políticas de compliance em torno do uso do WhatsApp e do TikTok. É um “vento favorável” para aumento de assinantes na AT&T, disse em uma conferência esta semana o CFO da empresa, Pascal Desroches.

No mesmo evento, o CFO da T-Mobile, Peter Osvaldik, disse que a contagem de clientes corporativos de sua empresa “cresceu em todos os trimestres de 2022”.

Os telefones são mais do que apenas um privilégio corporativo, disse a analista da Gartner, Lisa Pierce. “Também se trata de controle” – um meio de restringir ou bloquear aplicativos e manter os dados corporativos seguros, afirmou ela.

As empresas, especialmente as financeiras, estão cada vez mais preocupadas com a segurança de seus dados e os orgãos reguladores dos EUA intensificaram o escrutínio sobre comunicação privada não autorizada em aplicativos como o WhatsApp e e-mail pessoal.

No final do ano passado, o congresso americano, juntamente com vários estados, proibiu o TikTok, de propriedade da China, dos dispositivos de funcionários do governo com preocupações sobre a segurança nacional. Isso coloca as organizações na posição de exigir que seus funcionários removam aplicativos de telefones pessoais ou de oferecer um segundo dispositivo seguro.

“Agora parece que todo mundo tem dois telefones – em parte devido ao setor em que atuamos e à necessidade de privacidade e segurança”, disse Benjamin Bielawski, analista da Duff & Phelps Investment Management em Chicago.

Esse segundo dispositivo ajuda a explicar como as operadoras sem fio acumulam milhões de novos assinantes muito depois da época em que o mercado móvel passou por uma saturação, com quase todos os adultos nos Estados Unidos possuindo pelo menos um telefone.

Com a preocupação sobre o vício em TikTok, e GroupMe, WhatsApp e Twitter centralizando o tempo de tela nos EUA, há um conflito potencial entre trabalho e vida pessoal conduzidos no mesmo aparelho.

É por isso que Vincent Powell, gerente de contas da área da baía de São Francisco, tem dois telefones, embora ocasionalmente receba olhares perplexos das pessoas ao pegar o segundo para enviar e-mails e mensagens de texto dos clientes. “Gosto de ter minha vida pessoal mais ou menos em um e o trabalho em outro”, disse ele.

A situação de dois aparelhos pode não ser tão rara em um futuro próximo.

Nem a AT&T nem a T-Mobile divulgam os números de assinantes de telefones comerciais. A Verizon Communications e a Charter Communications são as duas únicas grandes operadoras que detalham os resultados das vendas de telefones comerciais. Ambas tiveram um crescimento de mais de 50% em clientes de telefones comerciais no ano passado.

O ressurgimento ocorre mais de uma década depois que a necessidade de aparelhos dedicados ao trabalho começou a diminuir. Depois que os telefones ficaram mais inteligentes e novos aplicativos puderam isolar atividades de trabalho e lazer, ter um segundo celular era um custo desnecessário para as grandes empresas. O domínio da Apple e Samsung tornou mais fácil para as empresas escolher um aparelho para seus trabalhadores, disse Maribel Lopez, analista da Lopez Research.

“Não é mais o BlackBerry neste momento”, disse. “Mas parece os velhos tempos.”

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
O negócio que ele abriu no início da pandemia com R$ 500 deve faturar R$ 20 milhões em 2024
seloNegócios

O negócio que ele abriu no início da pandemia com R$ 500 deve faturar R$ 20 milhões em 2024

Há 21 horas

Com investimento de R$ 30 mil, eles criaram um negócio de vacinas no interior que fatura R$ 36 mi
seloNegócios

Com investimento de R$ 30 mil, eles criaram um negócio de vacinas no interior que fatura R$ 36 mi

Há 2 dias

Bia Félix: com novo algoritmo do TikTok, veja 5 práticas para abandonar e outras 5 para adotar 
Um conteúdo Bússola

Bia Félix: com novo algoritmo do TikTok, veja 5 práticas para abandonar e outras 5 para adotar 

Há 3 dias

Nada de Google: geração Z faz buscas no TikTok e no YouTube
Tecnologia

Nada de Google: geração Z faz buscas no TikTok e no YouTube

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais