Negócios

Cade aprova oferta de BTG e Brookfield por BR Properties

Conselho considerou que a operação não gera impacto significativo no mercado imobiliário comercial


	Edifício da BR Properties: o Conselho considerou que a operação não gera impacto significativo no mercado imobiliário comercial
 (Guilherme Costa/Divulgação)

Edifício da BR Properties: o Conselho considerou que a operação não gera impacto significativo no mercado imobiliário comercial (Guilherme Costa/Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 9 de abril de 2015 às 09h38.

São Paulo - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a oferta pública voluntária de aquisição (OPA, na sigla em inglês) do BTG Pactual e da Brookfield Property Group pelo controle da empresa investimento em imóveis comerciais BR Properties, de acordo com despacho publicado no Diário Oficial da União nesta quinta-feira.

A OPA do Fundo de Investimento em Participações Bridge, veículo de investimento utilizado por um fundo da BTG Investments, parte do Grupo BTG Pactual, e pela Brookfield BR7, tem por objeto a aquisição da totalidade de ações da BR Properties e um mínimo de 85 por cento da companhia.

O Cade considerou que a operação não gera impacto significativo no mercado imobiliário comercial pois as compradoras ainda terão operação reduzida no segmento tanto no âmbito municipal quanto em cenários segmentados por bairros.

As companhias alegaram que, como o Grupo BTG Pactual já tem fatia superior a 20 por cento na BR Properties, a operação leva a sobreposições horizontais somente quanto às atividades do Grupo Brookfield e do fundo FII Prime Portfolio, fundo administrado pela BTG Pactual Serviços Financeiros.

No fim de fevereiro, o Bridge anunciou a intenção de lançar a operação ao preço de 12 reais por papel da BR Properties, a ser ajustado por dividendos e juros sobre capital próprio.

Mas analistas têm afirmado que BTG Pactual e Brookfield Property Group só devem ter sucesso na tentativa de compra se elevarem o valor da oferta para acima de 15 reais por ação, diante da resistência de acionistas.

Acompanhe tudo sobre:bancos-de-investimentoBR PropertiesBrookfieldBTG PactualConstrução civilEmpresasEmpresas abertasHoldingsShopping centers

Mais de Negócios

40 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Ele cansou de trabalhar em telecom. Agora, faz mais de R$ 1 mi com franquia de serviços automotivos

“É função dos empresários iniciar um novo RS”, diz CEO da maior produtora de biodiesel do país

Na Prosegur, os candidatos são avaliados pela simpática Rose, a chatbot do grupo

Mais na Exame