• AALR3 R$ 20,29 0.74
  • AAPL34 R$ 67,40 -2.05
  • ABCB4 R$ 16,73 -0.18
  • ABEV3 R$ 14,19 0.78
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,65 -2.92
  • AGRO3 R$ 31,09 0.61
  • ALPA4 R$ 20,82 0.29
  • ALSO3 R$ 19,15 -1.64
  • ALUP11 R$ 27,31 0.52
  • AMAR3 R$ 2,40 -2.83
  • AMBP3 R$ 30,55 -1.99
  • AMER3 R$ 22,85 -5.07
  • AMZO34 R$ 63,86 -2.50
  • ANIM3 R$ 5,36 -3.42
  • ARZZ3 R$ 79,90 0.49
  • ASAI3 R$ 15,91 0.25
  • AZUL4 R$ 20,78 -5.37
  • B3SA3 R$ 12,02 -0.66
  • BBAS3 R$ 37,75 -0.57
  • AALR3 R$ 20,29 0.74
  • AAPL34 R$ 67,40 -2.05
  • ABCB4 R$ 16,73 -0.18
  • ABEV3 R$ 14,19 0.78
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,65 -2.92
  • AGRO3 R$ 31,09 0.61
  • ALPA4 R$ 20,82 0.29
  • ALSO3 R$ 19,15 -1.64
  • ALUP11 R$ 27,31 0.52
  • AMAR3 R$ 2,40 -2.83
  • AMBP3 R$ 30,55 -1.99
  • AMER3 R$ 22,85 -5.07
  • AMZO34 R$ 63,86 -2.50
  • ANIM3 R$ 5,36 -3.42
  • ARZZ3 R$ 79,90 0.49
  • ASAI3 R$ 15,91 0.25
  • AZUL4 R$ 20,78 -5.37
  • B3SA3 R$ 12,02 -0.66
  • BBAS3 R$ 37,75 -0.57
Abra sua conta no BTG

C&A deve captar até R$ 2,2 bilhões em oferta de ações

Recursos captados serão destinados para o caixa da empresa, com o objetivo de pagar empréstimos e financiar expansão
C&A: vendas em loja reformada crescem, em média, 8% (Bloomberg/Krisztian Bocsi)
C&A: vendas em loja reformada crescem, em média, 8% (Bloomberg/Krisztian Bocsi)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 08/10/2019 07:29 | Última atualização em 08/10/2019 17:09Tempo de Leitura: 1 min de leitura

São Paulo — A abertura de capital da varejista C&A, prevista para o próximo dia 28, poderá movimentar até R$ 2,2 bilhões. Segundo uma fonte próxima da operação, as conversas com os investidores evoluíram bem nas últimas semanas. A percepção é de que, após a oferta, a companhia de fast-fashion conseguirá seguir com um ritmo acelerado seu plano de expansão.

"A empresa gera muito caixa e o desempenho da empresa vai muito bem. Fora isso, as vendas em loja reformada crescem, em média, 8%", diz a mesma fonte.

A oferta será feita em um lote primário, cujos recursos serão destinados para o caixa da empresa, com o objetivo de pagar empréstimos já feitos e financiar a continuidade da expansão do negócio. Haverá ainda uma oferta secundária, feita pela família fundadora Brenninkmeijer.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.