Negócios

Bureaus de crédito Equifax e Boavista anunciam fusão

Juntas, as duas empresas terão 40% do mercado e querem tirar a liderança da Serasa Experian

Bureaus de crédito Equifax e Boavista anunciam fusão e querem desbancar Serasa Experian (Stock.xchng)

Bureaus de crédito Equifax e Boavista anunciam fusão e querem desbancar Serasa Experian (Stock.xchng)

DR

Da Redação

Publicado em 31 de maio de 2011 às 19h46.

São Paulo - O segundo e o terceiro colocados no ranking dos maiores bureaus de crédito do Brasil fecharam um acordo para realizar uma fusão de suas atividades. Com o negócio, a Boavista (antiga SCPC) e a Equifax terão cerca de 40% do mercado de informações sobre o histórico de crédito dos brasileiros. A ideia das duas empresas é criar uma companhia com porte suficiente para disputar a liderança de mercado com a Serasa Experian.

Os bureaus de crédito fornecem a bancos e varejistas informações sobre o histórico de crédito dos brasileiros. Quem toma um empréstimo e não paga fica com o nome sujo nesses bureaus por até cinco anos. Quando tenta tomar um novo empréstimo ou realizar compras a prazo, essa pessoa terá mais dificuldade em conseguir a aprovação do banco ou do varejista.

Um novo filão para os bureaus de crédito será criado com a implantação do cadastro positivo. Dentro de alguns próximos meses, os bancos e as varejistas ficarão sabendo por meio do cadastro positivo quem são os brasileiros com bom histórico de pagamento de empréstimos. Em tese, essas pessoas terão acesso a juros menores quando tomarem uma dívida.
 

Acompanhe tudo sobre:acordos-empresariaisEmpresasempresas-de-tecnologiaExperianFusões e AquisiçõesInvestimentos de empresasParcerias empresariaisSerasa Experian

Mais de Negócios

Em masterclass gratuita, Marcelo Cherto ensina o passo a passo para abrir uma franquia de sucesso

Vai um hambúrguer aí? Mania de Churrasco fatura R$ 114 milhões com lanches

Cauã Reymond, Deborah Secco e mais: ‘Netflix da publicidade' fatura R$70 mi levando famosos até PMEs

Dia dos Namorados: pequenas e médias empresas online faturam R$ 262,5 milhões na data, alta de 35%

Mais na Exame