Negócios

Bridge Trust e Gradual formam parceria de R$ 6,5 bi

A operação entre os fundos de investimento está sujeita ainda à aprovação pelo Banco Central


	A operação entre os fundos de investimento está sujeita ainda à aprovação pelo Banco Central
 (Zurijeta/Thinkstock)

A operação entre os fundos de investimento está sujeita ainda à aprovação pelo Banco Central (Zurijeta/Thinkstock)

Karin Salomão

Karin Salomão

Publicado em 13 de fevereiro de 2015 às 15h57.

São Paulo – A Bridge Trust Administradora de Recursos e a Gradual Investimentos decidiram se associar. O acordo dará origem a um grupo financeiro, com mais de R$ 6,5 bilhões em ativos administrados.

A operação está sujeita ainda à aprovação pelo Banco Central.

Fernanda de Lima permanece como CEO da Gradual, que comanda desde 2006, e o presidente da Bridge Trust, Zeca Oliveira, será o responsável pelas áreas de administração de fundos e gestão de recursos, segundo o acordo.

A Gradual Investimentos existe há 25 anos e passou recentemente por reformulações sob a gestão de Lima.

A empresária implantou uma moderna plataforma tecnológica e ampliou o portfólio de produtos, como fusão e aquisições. A Gradual tem cerca de R$ 4 bilhões em ativos sob sua administração.

Já a Bridge Trust iniciou suas operações como administradora de fundos de investimentos em maio de 2014, com aproximadamente R$ 900 milhões de recursos sob sua administração. Hoje, é responsável pela administração de mais de R$ 2,5 bilhões em ativos.

A associação com outra corretora de valores sempre esteve nos planos de Zeca Oliveira. Segundo ele, existe grande sinergia que pode proporcionar receitas operacionais adicionais, além da redução nos custos das operações.

“A aliança estratégica entre a Bridge Trust e a Gradual permitirá o ´cross-selling´ de produtos e serviços, rentabilizando e fidelizando sua base de clientes”, afirma Zeca Oliveira.

Para Lima, “a parceria abre espaço para que a Gradual possa avançar no seu projeto de crescimento e oferta de novos produtos e soluções aos nossos clientes”.

A Gradual também firmou recentemente uma associação com a Tigress Financial Partners (TFP), uma corretora independente sediada em Nova Iorque.

Acompanhe tudo sobre:aplicacoes-financeirasCorretorasFundos de investimentoFusões e AquisiçõesInvestimentos de empresasMercado financeiro

Mais de Negócios

Empreendendo no mercado pet, ele saiu de R$ 50 mil para R$ 1,8 milhão. Agora, aposta em franquias

Ele quer chegar a 100 lojas e faturar R$ 350 milhões com produtos da Disney no Brasil

Shopee ultrapassa Amazon e se torna segundo e-commerce mais acessado do Brasil em maio; veja a lista

Por que a Cimed está disposta a pagar R$ 450 milhões pela Jequiti

Mais na Exame