Boeing 737 que caiu na China tem bom histórico de segurança

O avião fazia parte da linha Next Generation (NG), que antecedeu o 737 Max, impedido de voar no mundo todo após dois acidentes fatais
Boeing 737: histórico de segurança da linha NG é um dos melhores já vistos (Divulgação/Boeing)
Boeing 737: histórico de segurança da linha NG é um dos melhores já vistos (Divulgação/Boeing)
Por BloombergPublicado em 21/03/2022 17:53 | Última atualização em 21/03/2022 17:53Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Por: Siddharth Vikram Philip e Alan Levin

O 737-800 NG da Boeing que caiu na China na segunda-feira é considerado um dos aviões mais seguros já fabricados.

Com 132 pessoas a bordo, o jato operado pela China Eastern Airlines saiu de Kunming, na província de Yunnan, em direção ao polo industrial de Guangzhou. Segundo a Flightradar24, a aeronave caiu rapidamente quando estava em altitude de cruzeiro.

O avião de corredor único tinha seis anos e fazia parte da linha Next Generation (NG), que antecedeu o 737 Max, impedido de voar no mundo todo após dois acidentes fatais. O histórico de segurança da linha NG é um dos melhores já vistos. Foram 11 acidentes fatais entre mais de 7.000 aviões entregues pela Boeing desde 1997, de acordo com a consultoria de aviação Cirium.

“O 737 NG está em operação há 25 anos e tem excelente histórico de segurança”, disse Paul Hayes, diretor de segurança e seguro da Cirium. “Não vou especular sobre o que aconteceu, mas se os registros do Flightradar24 forem precisos, parece ter acontecido algo abruptamente e a parte frontal do avião mergulhou a partir da altitude de cruzeiro.”

VEJA TAMBÉM

Pilotos ‘aterrados’ inundam recrutadores com currículos

O mais recente acidente fatal de um 737-800 antes de segunda-feira ocorreu em agosto de 2020, quando um voo da Air India Express saiu da pista em Kozhikode, matando 21 pessoas. Uma investigação atribuiu a culpa ao piloto.

O avião com número de voo MU5735 da China Eastern desabou quase 8 mil metros em 2 minutos e meio, de acordo com dados da Flightradar24. A aeronave permaneceu na velocidade de cruzeiro de 842 quilômetros por hora até 19 segundos antes que a coleta de dados fosse interrompida.

Pelos cálculos da Airsafe.com, que monitora a segurança da aviação, modelos NG tiveram apenas 0,07 acidente fatal por milhão de voos até 2019. Esse resultado coloca o modelo em um grupo seleto que inclui o Boeing 747-400 e o principal concorrente do 737, a família Airbus SE A320.

O 737 Max tinha sido lançado há menos de dois anos quando foi impedido de voar no mundo inteiro, em março de 2019, após dois acidentes que mataram 346 pessoas. A China foi o primeiro país a proibir o funcionamento do avião. O modelo foi ajustado e recebeu nova certificação na China em dezembro, mas ainda não foi usado em voos comerciais.

“O NG é uma aeronave completamente diferente do 737 Max, que acaba de passar por um rigoroso processo de recertificação”, disse o analista John Strickland, especializado na indústria aeroespacial. “Não acho que o acidente de hoje terá qualquer influência quanto ao Max voltar a operar na China.”

“Estamos cientes dos relatos iniciais na mídia e estamos trabalhando para coletar mais informações”, afirmou a Boeing em comunicado.