Negócios

Bill Gates é o homem mais rico do mundo, segundo a Forbes

O mexicano Carlos Slim é segundo na lista, seguido pelo americano Warren Buffett; Mark Zuckerberg é o mais novo entre os mais ricos e ocupa o 16º lugar


	A revista atribui a Gates, de 59 anos e fundador da Microsoft, uma fortuna de US$ 79,2 bilhões
 (Stefan Postles/Getty Images)

A revista atribui a Gates, de 59 anos e fundador da Microsoft, uma fortuna de US$ 79,2 bilhões (Stefan Postles/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 2 de março de 2015 às 18h11.

Nova York - Bill Gates é o homem mais rico do mundo, à frente do mexicano Carlos Slim, segundo a lista das pessoas que possuem as maiores fortunas divulgada nesta segunda-feira pela revista 'Forbes'.

O veterano investidor americano Warren Buffett, que preside a firma Berkshire Hathaway, aparece em terceiro lugar.

A revista atribui a Gates, de 59 anos, fundador da Microsoft, uma fortuna de US$ 79,2 bilhões, enquanto a de Slim, de 75 anos, que lidera o grupo mexicano de telecomunicações América Móvil, é calculada em US$ 77,1 bilhões.

A Buffet, de 84 anos, a Forbes atribui uma fortuna de US$ 72,7 bilhões.

Entre os dez primeiros colocados, apenas um não é americano. Trata-se da francesa Liliane Bettencourt, de 92 anos, do grupo L'Oréal, que ocupa a 10ª posição da lista e a quem a Forbes calcula uma fortuna de US$ 40,1 bilhões.

Dos 20 primeiros há quatro integrantes da família Walton, donos da rede de varejo WalMart, que ocupam os postos 8 (Christy Walton), 9 (Jim Walton), 11 (Alice Walton) e 12 (S. Robson Walton).

O mais jovem entre os 20 primeiros é Mark Zuckerberg, criador do Facebook, de 30 anos, que ocupa o posto 16 e a quem Forbes atribui uma fortuna de cerca de US$ 33,4 bilhões. 

Acompanhe tudo sobre:Bill GatesEmpresáriosEmpresasgrandes-investidoresListas da ForbesMicrosoftPersonalidadesRiquezawarren-buffett

Mais de Negócios

A rota da KLM para transformar viagens em conexões inesquecíveis

De pequena lanchonete à franquia bilionária: o que o sucesso do McDonald’s ensina aos empreendedores

Desenrola Pequenos Negócios renegocia R$ 1,25 bilhão até 12 de junho

Executivos veem a inteligência artificial como um “divisor de águas”

Mais na Exame