Negócios

BB e Votorantim abrem caminho para IPO do BV em abril, dizem fontes

O Banco do Brasil informou que assinou um novo acordo de acionistas com a Votorantim Finanças sobre parceria no BV

Banco BV: antigo Banco Votorantim, empresa mudou de marca em 2019 (Banco BV/Divulgação)

Banco BV: antigo Banco Votorantim, empresa mudou de marca em 2019 (Banco BV/Divulgação)

R

Reuters

Publicado em 7 de fevereiro de 2020 às 20h56.

O Banco do Brasil informou nesta sexta-feira por meio de fato relevante que assinou um novo acordo de acionistas com a Votorantim Finanças, braço financeiro do Grupo Votorantim, sobre parceria no BV (ex-Banco Votorantim).

Segundo duas fontes a par do assunto, a medida era um passo necessário para que o BV dê sequência ao seu plano de se listar na bolsa paulista por meio de uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

Grupo Votorantim, com 50,01% do capital, e BB, com 49,99%, dividem o controle do BV. O acordo de acionistas, agora substituído, não previa a realização de uma oferta de ações do BV, possibilidade que agora passou a existir.

Segundo as fontes, que pediram anonimato porque o assunto é sigiloso, a expectativa dos sócios é de que o IPO aconteça em abril e que levante cerca de 5 bilhões de reais, sendo 1 bilhão de uma oferta primária (ações novas, cujos recursos vão para o caixa do BV), enquanto os 4 bilhões restantes corresponderão à oferta secundária, com BB e Votorantim levando 2 bilhões cada.

Com a assinatura do documento, a partir de semana que vem, o BV fica livre para pedir registro da oferta de ações na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Consultados, BB e BV não se manifestaram de imediato. Um porta-voz do Grupo Votorantim não foi encontrado fora do horário de expediente para comentar.

Acompanhe tudo sobre:BB – Banco do BrasilIPOsVotorantim

Mais de Negócios

O Brasil pode exportar peças para veículos? Essa é a aposta da Bosch após vender R$ 9,8 bilhões aqui

Startup do Amapá capta R$ 3 milhões e já tem R$ 30 milhões para emprestar na Amazônia

Você já ouviu falar na sigla DYOR? Veja por que ela é importante no universo das finanças

Com investimento de R$ 70 milhões, plataforma de renegociação de dívidas entra em operação

Mais na Exame