Negócios

Aumento de preço médio dos pares puxa resultado da Grendene

Lucro líquido do trimestre foi de 104,8 milhões de reais

Grendene: a empresa mantém suas metas de crescimento até 2013 (Bia Parreiras/EXAME.com)

Grendene: a empresa mantém suas metas de crescimento até 2013 (Bia Parreiras/EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 11 de novembro de 2010 às 19h20.

São Paulo - A Grendene encerrou o terceiro trimestre com lucro líquido de 104,8 milhões de reais. O valor é 59,7% maior do que o resultado obtido no mesmo período de 2009. Os resultados foram impulsionados pela elevação de preços e recuperação de margens, segundo Francisco Schmitt, diretor de relações com investidores da Grendene. O preço médio dos pares cresceu 12,2% no período e o volume de vendas, 2,4%.

Os preços vinham mais baixos por conta da perspectiva de crise em 2009. "Nós tínhamos uma avaliação de que os preços praticados no primeiro semestre estavam aquém das possibilidades", disse Schmitt ao site EXAME. Além de corrigir preços, a empresa melhorou sua produtividade e a eficiência geral da operação.

No trimestre, os preços do mercado interno cresceram 14,8% e os preços em dólares nas exportações 16,5%, quando comparados a igual período do ano anterior. Os volumes apresentaram queda de 1,6% no mercado interno e crescimento de 19,3% no mercado externo.

A empresa mantém suas metas para os próximos anos (de 2009 a 2013) apesar de vislumbrar uma evolução da taxa de câmbio (real/dólar) diferente da esperada. "O que poderia prejudicar estas perspectivas seria uma retomada inflacionária com efeitos negativos no poder aquisitivo dos consumidores. Entretanto, não esperamos para o curto prazo nenhum quadro inflacionário que venha a prejudicar o consumo", informou a empresa, em balanço.

"Mais para frente, esperamos dificuldades maiores no mercado externo, a evolução do câmbio não nos encoraja", disse o diretor. A empresa acredita que não será prejudicada pelo câmbio real/dólar, uma vez que exporta para 90 países, mas acredita que podem haver dificuldades no mercado americano – que deverão ser compensadas pelos outros mercados.

A empresa acredita que suas exportações aumentam enquanto as dos calçados brasileiros caem por causa de seu modelo de negócio. "produção em larga escala, parte da matéria prima é uma commodity, cotada em dólar, então tem certa proteção e usamos menos mão de obras’, disse o diretor.

As exportações apresentaram crescimento de 30,1% na receita e 19,3% nos volumes, comparando ao mesmo período de 2009, o que totalizou 69,8 milhões de reais e 9,2 milhões de pares vendidos.

A empresa mantém suas metas de crescimento até 2013. A meta de crescimento da receita bruta a uma taxa composta média (CAGR) entre 8% e 12% nos 5 anos (2009 – 2013). O crescimento do Lucro Líquido a uma taxa composta média (CAGR) entre 12 % e 15% nos 5 anos (2009-2013).

A Grendene havia começado um estudo para ampliação de fábricas em função do crescimento que vinha apresentando, mas devido às ações de ganho de eficiência, acredita que essa expansão será mais provável em 2012 do que em 2011. receita bruta cresceu 14,9% e atingiu 546,4 milhões de reais no período. O ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) cresceu 107,2% e foi de 87,7 milhões de reais no trimestre.

Acompanhe tudo sobre:América LatinaCalçadosComércio exteriorDados de BrasilEmpresasExportaçõesgestao-de-negociosGrendeneResultadoRoupas

Mais de Negócios

Após falharem em 15 projetos, eles criaram uma startup de logística que está recebendo R$ 12 milhões

11 franquias baratas para trabalhar sem funcionários a partir de R$ 2.850

Inteligência Artificial no Brasil: inovação, potencial e aplicações reais das novas tecnologias

Mundo sem cookies: as big techs estão se adequando a uma publicidade online com mais privacidade

Mais na Exame