Negócios

ArcelorMittal planeja investimentos de quase US$ 1,5 bi no Brasil

Valores serão aprovados no início do ano que vem, dependendo da evolução do mercado

Fábrica da ArcellorMittal: empresa é uma das maiores produtoras de aço do mundo (Mark Renders/Getty Images)

Fábrica da ArcellorMittal: empresa é uma das maiores produtoras de aço do mundo (Mark Renders/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 6 de junho de 2011 às 15h52.

São Paulo – A siderúrgica ArcelorMittal Brasil estuda investimentos de 1,480 bilhão de dólares no país a partir do ano que vem, a depender da evolução do mercado. Do total, 1 bilhão de dólares será destinado a um novo laminador de tiras a quente, com capacidade de 3 milhões de toneladas, para produção de bobinas na usina de Serra (ES), na unidade de Tubarão. A matéria-prima atenderá à crescente demanda dos mercados internos de construção civil, gás e rodas para automóveis. A expectativa é iniciar as obras no próximo ano e a operação, em 2015.

Ainda em Tubarão, está prevista a parada do alto-forno 1 em março de 2012 para reforma, com duração de 90 dias. A obra está orçada em 180 milhões de dólares. A produção do equipamento será reduzida gradativamente a partir de outubro. Será a primeira reforma deste alto-forno, que entrou em operação em 1983 e representa quase a metade da capacidade de produção da usina, hoje em 7,5 milhões de toneladas de aços planos. Paralelamente, a empresa religará aos poucos seu alto-forno 2, que tem capacidade de produção de 1,3 milhão de toneladas de aço por ano.

A empresa estuda também a ampliação da produção da usina, localizada no município de Cariacica. Com capacidade de produção de 600.000 toneladas de aços longos por ano, a usina pode receber novo laminador para aumentar a produção em 40%. A unidade fabrica principalmente vergalhões, voltados para o setor de construção civil.

Os 300 milhões de reais restantes serão destinados já para a nova linha de aços planos galvanizados, na sua subsidiária ArcelorMittal Vega, em São Francisco do Sul, em Santa Catarina. A unidade terá capacidade para 550.000 toneladas de aço galvanizado por ano e de 100.000 toneladas anuais de laminado a frio. Os principais mercados são o setor automotivo, de linha branca e construção civil.

A empresa já tinha concluído, no final de 2010, sua segunda linha de galvanização na ArcelorMittal Vega. Na época, o investimento aumentou em 40% a capacidade de produção, o que significou acréscimo de 360.000 toneladas por ano ao volume produzido, totalizando 1,4 milhão de toneladas anuais. Com a decisão de investir na terceira linha no mesmo segmento, a ArcelorMittal Vega atingirá capacidade de aproximadamente 2 milhões de toneladas anuais de aços planos, sendo 75% de aço galvanizado e 25% de laminados a frio.

Acompanhe tudo sobre:ArcelorMittalEmpresasIndústriaInvestimentos de empresasSiderurgiaSiderurgia e metalurgia

Mais de Negócios

Após falhar em 15 projetos, eles criaram uma startup de logística que está recebendo R$ 12 milhões

11 franquias baratas para trabalhar sem funcionários a partir de R$ 2.850

Inteligência Artificial no Brasil: inovação, potencial e aplicações reais das novas tecnologias

Mundo sem cookies: as big techs estão se adequando a uma publicidade online com mais privacidade

Mais na Exame