Negócios

ArcelorMittal espera demanda menor por aço em 2011

ArcelorMittal vê a demanda global por aço desacelerando de 5 a 6 por cento em 2011

ArcelorMittal acredita que a demanda por aço deverá diminuir no próximo ano (Sean Gallup/Getty Images)

ArcelorMittal acredita que a demanda por aço deverá diminuir no próximo ano (Sean Gallup/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 24 de novembro de 2010 às 10h43.

Cingapura - A siderúrgica ArcelorMittal vê a demanda global por aço desacelerando de 5 a 6 por cento em 2011 ante uma expansão estimada de dois dígitos este ano por causa da fraqueza da economia global, afirmou o diretor de operações indianas e chinesas da companhia.

Vijay Bhatnagar, presidente-executivo da ArcelorMittal para os dois países, também afirmou que é "muito cedo" para determinar se a escalada das tensões na península coreana terá algum impacto na economia global.

"O crescimento da demanda comparado a 2010 será mais lento porque a base de comparação de 2009 é muito baixa", disse Bhatnagar à Reuters durante conferência do setor.

O executivo afirmou que a demanda por aço será liderada por economias emergentes, como China, Índia, Rússia e Brasil, enquanto "o crescimento no mundo desenvolvido será lento por causa da crise econômica e por causa do grau de amadurecimento das economias".

A Associação Mundial de Aço (WSA) informou em outubro que vê a demanda global por aço desacelerando para 5,3 por cento em 2011, ante expectativa de crescimento de 13,1 por cento este ano. A desaceleração de 2011 é prevista por uma demanda mais lenta da China, maior consumidora de aço do mundo.

Se voltando para a Índia, onde a ArcelorMittal está pretendendo construir três usinas siderúrgicas com uma capacidade combinada de 30 milhões de toneladas, Bhatnagar afirmou que prevê que a demanda do país vai superar a oferta no médio prazo.

"Sabemos que o país vai precisar de aço e sabemos que haverá uma diferença entre oferta e demanda depois de 2015 e, até 2015, ficará muito, muito apertado", disse ele.

Bhatnagar afirmou ainda que os preços de minério de ferro devem subir ou ficar nos níveis de 2010 em 2011.

"As novas capacidades de minério de ferro não vão provavelmente se fazer sentir completamente, então haverá certo desequilíbrio entre capacidade de mineração entrando em operação e a demanda e isso deve ter algum impacto nos preços."

Acompanhe tudo sobre:ArcelorMittalEmpresasIndústriaSiderurgiaSiderurgia e metalurgia

Mais de Negócios

Startup brasileira quer usar hemogramas e IA para acelerar diagnóstico do câncer de mama

A rota da KLM para transformar viagens em conexões inesquecíveis

Lembra dela? TecToy volta a apostar no mercado game e lança computador, acessórios e até jogos

Giovanna Antonelli, Caio Castro, Deborah Secco e mais: conheça franquias com sócios famosos

Mais na Exame