Negócios

Após balanço, fortuna de Jensen Huang, CEO da Nvidia, avança R$ 39,4 bilhões em 1 dia

A Nvidia é atualmente a terceira empresa mais valiosa do mundo, atrás apenas da Microsoft e da Apple

Huang ocupa a 17ª posição entre as pessoas mais ricas do mundo com um patrimônio estimado em US$ 91,3 bilhões (I-HWA CHENG/AFP/Getty Images)

Huang ocupa a 17ª posição entre as pessoas mais ricas do mundo com um patrimônio estimado em US$ 91,3 bilhões (I-HWA CHENG/AFP/Getty Images)

Marcos Bonfim
Marcos Bonfim

Repórter de Negócios

Publicado em 24 de maio de 2024 às 10h47.

Última atualização em 24 de maio de 2024 às 11h35.

A narrativa tem se repetido nos últimos trimestres. A Nvidia solta o balanço, os números surpreendem o mercado, e o CEO e fundador Jensen Huang vê os números da sua fortuna avançarem em mais algumas casas. Os dados do primeiro trimestre deste ano, divulgados nesta quarta-feira, 22, revelaram lucro líquido de US$ 14,88 bilhões no primeiro trimestre fiscal de 2024, alta de 628% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Com o resultado, os papéis de big tech subiram mais de 9% no pregão desta quinta-feira,23, encerrando o dia negociados a USS$ 1.037,99 na Nasdaq. Segundo o ranking de bilionários da Bloomberg, o patrimônio de Huang cresceu em US$ 7,65 bilhões, o equivalente a R$ 39,4 bilhões.

No ano, a fortuna do executivo é a que registra o maior crescimento: US$ 47,3 bilhões, superando as altas de nomes como Mark Zuckerberg, da Meta, e Michael Dell, fundador da Dell. Huang ocupa a 17ª posição entre as pessoas mais ricas do mundo com um patrimônio estimado em US$ 91,3 bilhões. 

De acordo com números de mercado, ele detém 3,5% de participação na Nvidia, contabilizando ativos em seu nome e de fundos familiares.

O que impulsiona os números da Nvidia 

O crescimento da fabricante de chips está relacionado ao forte domínio que detém no mercado de dispositivos para IA. Esse atributo virou uma vantagem competitiva e tanto diante do boom da AI generativa, com  soluções como ChatGPT, da OpenIA, e Gemini, do Google, que demandam alta capacidade computacional. 

Em nota, a empresa aponta que a expansão recente resulta de uma demanda acelerada pela plataforma de computação Nvidia Hopper GPU — usada em modelos de linguagem, mecanismos de recomendação e aplicativos de inteligência artificial (IA) generativa — e projeta que a "próxima onda de crescimento" está em formação, com a produção da nova plataforma Blackwell.

Com o balanço, a Nvidia atualizou suas projeções para o segundo trimestre fiscal de 2025, com expectativa de receita de US$ 28 bilhões - a margem de erro é de 2% a mais ou a menos. A expectativa da FactSet para o período é de receita de US$ 26,2 bilhões.

Qual é a história de Jensen Huang

O bilionário Jensen Huang nasceu em Taiwan, mudou para a Tailândia e chegou aos Estados Unidos aos 9 anos, onde a família se estabeleceu. Formado em ciência da computação e design de chips, criou a Nvidia com Chris Malachowsky e Curtis Priem, em 1993, porque queriam aprimorar os gráficos de jogos de PC.

Eles pegaram a fase bem inicial do mercado, mas viram o potencial de crescimento, acreditando que uma nova onda estava chegando para o setor. A tecnologia de unidades de processador gráfico (GPUs), desenvolvida pela Nvidia, permitiu que as máquinas produzissem imagens detalhadas e limpas em velocidades ultrarrápidas.

Atualmente, os produtos da companhia são usados para diferentes funcionalidades e serviços, incluindo consoles de jogos, veículos autônomos e robótica. A Nvidia tem mais de 35 mil clientes, entre empresas como Google, Mercedes-Benz, Meta e Amazon. Huang ocupa a posição de CEO desde o início da operação.

A Nvidia é atualmente a terceira empresa mais valiosa do mundo, atrás apenas da Microsoft e da Apple, que ocupam, respectivamente, a primeira e a segunda posições. Com a valorização atual das ações, está avaliada em US$ 2,55 trilhões.

Quer dicas para decolar o seu negócio? Receba informações exclusivas de empreendedorismo diretamente no seu WhatsApp. Participe já do canal EXAME Empreenda 

Acompanhe tudo sobre:Nvidiaempresas-de-tecnologiaChips

Mais de Negócios

Da quase falência ao topo: como a Lego evitou o colapso com apenas uma nova estratégia?

Bolsa BEE4 recruta conselheiros de mercado para deslanchar listagem de PMEs brasileiras

"É hora de renascer", diz gaúcho ao reabrir supermercado que foi saqueado durante as enchentes no RS

Crescimento do setor mineral vem ancorado por investimentos em inovação e sustentabilidade

Mais na Exame