Amazon compra MGM, estúdio de James Bond e Rocky, por US$ 8,45 bilhões

Negócio reforça estratégia da gigante de tecnologia no serviço de streaming, um negócio que reúne gigantes como Disney e Netflix
 (AFP/Reprodução)
(AFP/Reprodução)
D
Da Redação com Estadão

Publicado em 26/05/2021 às 10:31.

Última atualização em 26/05/2021 às 14:34.

A Amazon anunciou nesta quarta-feira o fechamento de um acordo que prevê a compra do estúdio de cinema Metro-Goldwyn-Mayer (MGM) por US$ 8,45 bilhões. A operação é a segunda maior da história da gigante liderada por Jeff Bezos, atrás apenas da aquisição da Whole Foods por US$ 13,7 bilhões, em 2017.

A Exame Academy lançou um curso sobre ESG -- práticas ambientais, sociais e de governança. Conheça agora

Fundada há quase 100 anos, a MGM é um dos estúdios cinematográficos mais tradicionais de Hollywood, dona de títulos como "O Silêncio dos Inocentes" e a franquia "007".

Com a compra, a Amazon consolida sua aposta na indústria do entretenimento, que tem como principal ativo o serviço de streaming Amazon Prime.

"O valor financeiro real por trás desse negócio é o tesouro no catálogo profundo que planejamos reimaginar e desenvolver junto com a talentosa equipe da MGM. É muito emocionante e oferece muitas oportunidades para contar histórias de alta qualidade", disse o vice-presidente sênior da Prime Video e Amazon Studios, Mike Hopkins.

A MGM dà à Amazon um portfólio de 17 mil episódios e 4 mil filmes que inclui títulos tradicionais como Pantera Cor-de-Rosa e Legalmente loira. Especialistas dizem que é uma oferta ampla, mas meio "cansada", segundo o site Business Insider.

No mês passado, o serviço de streaming da Amazon passou 200 milhões de assinantes, com avanço de 70% no número de horas assistidas de um ano para outro. Cerca de 7% do faturamento no primeiro trimestre veio do streaming -- cerca de 7,6 bilhões de dólares.

O acordo é o segundo grande negócio recente no setor de entretenimento americano. Na semana passada, a AT&T confirmou acordo para a fusão de seu braço de mídia, a WarnerMedia, com a Discovery.

Num mercado que seguirá crescendo, com concorrentes do peso de Disney e Netflix, os investimentos tendem a ser cada vez maiores.

O site Financial Times destacou que este tem sido um ano de fusões e aquisições no setor de mídia.

O valor dos negócios anunciados no setor de mídia até agora este ano é o mais alto desde 2000 e 640%  em comparação com o mesmo período de 2020, de acordo com dados da Refinitiv citados pelo Financial Times. Segundo o site, a Apple e a Comcast também estavam competindo para comprar a MGM, que é controlada pelo fundo de hedge norte-americano Anchorage Capital e um consórcio de investidores financeiros,

A Amazon só prevaleceu porque estava preparada para pagar cerca de 3 bilhões de dólares a mais.