Negócios

Amazon adota turnos de 10 horas, 4 dias por semana

Funcionários dos centros de distribuição da varejista no Reino Unido terão três dias de descanso semanalmente. Empresa anunciou a contratação de 1.000 pessoas


	Amazon: condições de trabalho nos centros de distribuição da companhia têm sido criticadas
 (Uwe Zucchi/dpa/Corbis/Latinstock)

Amazon: condições de trabalho nos centros de distribuição da companhia têm sido criticadas (Uwe Zucchi/dpa/Corbis/Latinstock)

Luísa Melo

Luísa Melo

Publicado em 16 de outubro de 2014 às 17h34.

São Paulo - Funcionários dos centros de distribuição da Amazon no Reino Unido agora vão trabalhar dez horas diárias, durante quatro dias por semana. A informação é do The Guardian

Segundo o jornal, a empresa defende que a medida concede aos empregados três dias de descanso semanalmente, o que faria com que eles economizassem tempo e dinheiro.  

A política é parecida com a pregada pelo bilionário Carlos Slim em julho. Para o dono da América Móvil, as pessoas só deveriam trabalhar durante três dias por semana, mesmo que para isso o expediente precisasse ser de até 11 horas diárias. 

Expansão

Na terça-feira, a Amazon anunciou que pretende contratar 1.000 novos funcionários fixos para atuarem em seus centros de distribuição no Reino Unido nos próximos meses, por conta do aumento da demanda por produtos online. Os armazéns da companhia já empregam 6.000 pessoas na região.

Apesar de a nova jornada de quatro dias ser encarada pela Amazon como um benefício, as condições de trabalho nesses centros tem sido criticadas, conforme relata o Financial Times.

De acordo o jornal, funcionários teriam que andar até 15 milhas (cerca de 14 quilômetros) em um único turno e a disciplina aplicada seria bastante rígida, restringindo, inclusive, a conversa entre a equipe.

Nos Estados Unidos, a empresa também é questionada por adotar sistemas de controle abusivos em seus depósitos.

Ao Guardian, a Amazon disse que a remuneração inicial dos empregados dessas áreas no Reino Unido é de 7,39 libras por hora (valor que pode subir para 8,90 libras após dois anos de casa), enquanto o salário mínimo é de 6,50 libras por hora.

A companhia também informou que oferece seguro de saúde privado, plano de pensão, seguro de vida e descontos especiais aos funcionários.

Acompanhe tudo sobre:AmazonComércioEmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetEuropaflexibilidade-no-trabalhogestao-de-negocioslojas-onlinePaíses ricosReino Unido

Mais de Negócios

Anderson Silva fará última luta em solo brasileiro neste sábado; veja como acompanhar

Já reiniciou? Após mais de R$ 22 mi, startup do 'modem inteligente' começa a operar fora do país

Franquia ou um negócio próprio: qual compensa mais? Especialista tem a resposta

Como uma startup organizou uma vaquinha de R$ 76 milhões para o Rio Grande do Sul

Mais na Exame