Mundo

Trump retira promessa de apoiar outro candidato republicano

Cruz, perguntado mais cedo no mesmo evento da CNN se honraria a promessa de apoiar o indicado do partido, fugiu de uma resposta direta


	Donald Trump: "Deixe-me dar minha solução para isso", disse Cruz. "Donald não será o nomeado republicano. Vamos derrotá-lo."
 (REUTERS/Jim Bourg)

Donald Trump: "Deixe-me dar minha solução para isso", disse Cruz. "Donald não será o nomeado republicano. Vamos derrotá-lo." (REUTERS/Jim Bourg)

DR

Da Redação

Publicado em 30 de março de 2016 às 08h33.

Washington - O pré-candidato republicano líder das pesquisas, Donald Trump, abandonou na terça-feira a promessa de apoiar o indicado do partido para disputar a Presidência dos Estados Unidos se não for ele o escolhido, em um marco da crescente divisão com o principal concorrente, Ted Cruz.

"Não, não vou mais", respondeu Trump quando perguntado em evento da CNN se ainda mantinha a promessa que fez no ano passado de apoiar quem quer que fosse o indicado republicano para disputar a eleição de 8 de novembro.

A promessa de lealdade de Trump assinada em setembro passado foi importante para ajudá-lo a conquistar credibilidade junto ao Comitê Nacional Republicano. A promessa também foi assinada por todos os seus concorrentes na disputa pela nomeação do partido.

Sua mudança de posição ocorre num momento em que Trump tenta derrubar a concorrência de Cruz, um senador do Texas que está em segundo lugar na corrida republicana, atrás do bilionário de Nova York, na busca pelos 1.237 delegados necessários para se obter a nomeação.

Cruz, perguntado mais cedo no mesmo evento da CNN se honraria a promessa de apoiar o indicado do partido se não for ele o escolhido, fugiu de uma resposta direta.

"Deixe-me dar minha solução para isso", disse Cruz. "Donald não será o nomeado republicano. Vamos derrotá-lo."

Acompanhe tudo sobre:CelebridadesCNNDonald TrumpEmpresáriosEmpresasEstados Unidos (EUA)Países ricos

Mais de Mundo

Mundo bate recorde de deslocados pelo 12º ano consecutivo, afirma ONU

EUA ampliam sanções contra a Rússia e visam frear auxílio chinês

Biden quer usar ativos congelados da Rússia para reconstruir Ucrânia

Com margem estreita, Milei tenta aprovar pacote de reformas no Senado argentino

Mais na Exame