Mundo

Trump lança tênis de R$ 2 mil após receber multa de US$ 355 milhões por fraude

Site da venda afirma que os calçados não têm conexão com a campanha do ex-presidente

Donald Trump, ex-presidente dos EUA (Chip Somodevilla/Getty Images)

Donald Trump, ex-presidente dos EUA (Chip Somodevilla/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 19 de fevereiro de 2024 às 15h54.

Última atualização em 19 de fevereiro de 2024 às 16h35.

À medida que se aproxima da indicação presidencial republicana, o ex-presidente Donald Trump fez uma parada altamente incomum no sábado, 17, vendendo novos tênis da marca Trump na "Sneaker Con" um encontro que se intitula como o "O Maior Show de Tênis da Terra". Trump foi recebido com fortes vaias e também aplausos no Centro de Convenções da Filadélfia ao introduzir o que chamou de primeiro calçado oficial da marca Trump.

Os sapatos, tênis dourados brilhantes com detalhes de uma bandeira americana na parte de trás, estão sendo vendidos como "Never Surrender High-Tops" por US$ 399 (cerca de R$ 1.981) em um novo site que também vende outros calçados da marca Trump e o perfume e a colônia "Victory47" por US$ 99 a embalagem. Ele seria o 47º presidente se fosse eleito novamente. O site diz que não tem conexão com a campanha de Trump, embora os funcionários da campanha dele tenham promovido a aparência em posts online.

O lançamento aconteceu um dia depois que um juiz em Nova York ordenou que Trump e sua empresa pagassem uma multa de US$ 355 milhões, descobrindo que o ex-presidente mentiu sobre sua riqueza por anos, planejando enganar bancos, seguradoras e outros inflando sua riqueza em declarações financeiras. Essa penalidade veio depois que Trump foi condenado a pagar mais US$ 83,3 milhões à escritora E. Jean Carroll por prejudicar sua reputação depois que ela o acusou de assédio sexual. Com os pagamentos de juros, as dívidas legais de Trump agora podem exceder US$ 0,5 bilhão — uma quantia que não está claro se ele pode pagar.

'Há muita emoção nesta sala'

A aparição de Trump foi recebida com vaias conflitantes de seus detratores e cantos de "EUA!" de apoiadores que chegaram ao evento de tênis vestidos com roupas da marca Trump. Os cantos duais tornaram difícil, às vezes, ouvir Trump falar. Alguns receberam placas que diziam "Sneakerheads amam Trump". "Há muita emoção nesta sala", disse Trump sobre a reação, depois de segurar e mostrar um par de sapatos dourados, e então colocar um em cada lado de seu pódio. "Isso é algo sobre o que tenho falado por 12 anos, 13 anos. E acho que vai ser um grande sucesso", disse ele.

Enquanto falava, o cheiro de maconha ocasionalmente se espalhava pela sala. Alguns dos presentes disseram que não sabiam que Trump estaria lá, e continuaram a fazer compras enquanto uma multidão se reunia em torno do palco. Muitos na audiência disseram que não eram da cidade e vinham de estados vizinhos e Washington, D.C. Os participantes eram mais jovens e mais diversos do que as multidões de comícios de Trump.

A campanha de Trump espera que ele possa conquistar mais votos de jovens e minorias, especialmente jovens homens negros, em uma provável revanche contra o presidente Joe Biden em novembro.

Astronauta, caubói e super-herói

Este não é o primeiro empreendimento lucrativo que Trump anunciou desde o lançamento de sua terceira campanha para a Casa Branca em 2022. Trump relatou no ano passado ganhar entre US$ 100 mil e US$ 1 milhão com cartões de negociação digital que o retratavam, por meio de edição de fotos, em uma série de imagens semelhantes a desenhos animados, incluindo como um astronauta, um caubói e um super-herói.

Ele também lançou livros com fotos de seu tempo no cargo e cartas escritas para ele ao longo dos anos. Antes de concorrer ao cargo, Trump vendia de tudo, desde bifes até vodca, até um empreendimento que chamava de "Universidade Trump".

O novo site de tênis diz ser administrado pela CIC Ventures LLC, uma empresa que Trump relatou ser proprietário em sua declaração financeira de 2023. O site afirma que o novo empreendimento "não é político e não tem nada a ver com qualquer campanha política". Ainda assim, ele descreve os tênis como um item de coleção limitado e numerado "verdadeiro item de coleção" que é "ousado, dourado e resistente, assim como o presidente Trump". "Os tênis Never Surrender são seu grito de guerra em forma de sapato", diz a descrição. "Amarre e saia pronto para conquistar."

'Na frente era uma vibe diferente'

Um porta-voz de Trump não respondeu a perguntas sobre o evento, incluindo se Trump foi pago para participar. Entre os presentes estavam Jonathen Santiago, 21, e Danea Mitchell, 20, apoiadores de Trump que dirigiram do condado de Monroe, na parte nordeste do Estado, para o evento de tênis. Eles disseram que estavam animados para ver o ex-presidente e elogiaram sua interação com a multidão. Eles também tiveram palavras gentis para os tênis. "As solas vermelhas foram um toque muito bom", disse Mitchell. Ela deu de ombros quando perguntada sobre os problemas legais de Trump. "Acho que serão quatro anos interessantes se ele for considerado culpado, mas não tenho dúvidas de que ele será presidente", disse ela.

Também presentes estava um grupo de "mães de torcida" de Nova Jersey que disseram estar na cidade para um evento de cheerleading e decidiram passar por lá para ter a chance de ver Trump. Karla Burke, 48, disse que ouviu algumas pessoas vaiando e fazendo barulho, mas que a maioria das pessoas ao seu redor eram apoiadores. "Na frente era uma vibe diferente", disse ela. Quanto à penalidade de sexta-feira no julgamento civil de fraude de Trump, Burke disse que isso não muda seu apoio. "Acho que foi injusto", disse ela. "Eles estão indo atrás dele para que ele não seja o candidato republicano."

O diretor de comunicações da campanha Biden-Harris 2024, Michael Tyler, criticou a aparição, dizendo: "Donald Trump aparecendo para vender imitações de Off-Whites é o mais perto que ele chegará de qualquer Air Force Ones para o resto de sua vida". Trump voou da Filadélfia para o Michigan, onde realizou um comício nos subúrbios de Detroit e criticou o julgamento de sexta-feira, que ele prometeu apelar. Tanto a Pensilvânia quanto o Michigan devem ser estados críticos na disputa.

O CAMINHO PARA A CASA BRANCA

Acompanhe com a EXAME todas as movimentações das eleições nos Estados Unidos pelos episódios do podcast O Caminho para a Casa Branca, uma coprodução da EXAME e da Gauss Capital.

O podcast tem apresentação de Rafael Balago, repórter da EXAME e ex-correspondente em Washington, e de Luciano Pádua, editor de macroeconomia da EXAME, com análises e comentários de Maurício Moura, professor da Universidade George Washington e sócio do fundo Zaftra, da Gauss Capital.

Acompanhe no YouTube:

yt thumbnail

Acompanhe pelo Spotify:

Acompanhe tudo sobre:Donald TrumpEstados Unidos (EUA)Eleições EUA 2024

Mais de Mundo

"Portugal deve pagar pela escravidão", diz presidente do país

Senado dos EUA aprova pacote de ajuda de US$ 95 bi para Ucrânia, Israel e Taiwan

Maduro anuncia reabertura de escritório de Direitos Humanos da ONU na Venezuela

Suprema Corte dos EUA analisa se Trump dispõe de imunidade presidencial

Mais na Exame