Acompanhe:

Os 41 operários presos num túnel na Índia que foram resgatados com sucesso, nesta terça-feira, receberam das autoridades, cada um, um cheque no valor de US$ 1,2 mil (equivalente a R$ 5,8 mil, na cotação atual), como compensação pelo acidente. O valor representa meio ano de salário deles.

O pagamento foi realizado ao fim da operação de resgate, que durou 17 dias. Segundo o site Notícias ao Minuto, os socorristas que atuaram na ação de emergência vão receber metade desse valor.

"Conheci todos. Estão saudáveis e felizes, e as suas famílias também estão felizes. Um check-up médico foi feito e não há problema com nenhum deles", afirmou o chefe do governo do estado de Uttarakhand, Pushkar Singh Dhami, depois de visitar os trabalhadores na unidade de saúde local.

Os trabalhadores resgatados descreveram a longa "provação" que suportaram durante a expectativa pelo resgate, pensando nas suas famílias e rezando em silêncio.

"Estávamos com muito medo, sentíamos o tempo todo que a morte estava próxima", disse Deepak Kumar, um dos trabalhadores resgatados, à AFP nesta quarta-feira, 29. "Não tínhamos certeza se sobreviveríamos ou não."

Os 41 trabalhadores foram recebidos como heróis na terça-feira, após saírem do túnel através de um tubo de aço de 57 metros de comprimento, sobre macas com rodas, o fim de uma complexa operação de engenharia.

Ao verem novamente a luz do dia, foram recebidos com guirlandas de flores e representantes do governo, em meio aos aplausos da multidão.

Os trabalhadores ficaram presos em um espaço de 8,5 metros de altura por 2 quilômetros de comprimento desde 12 de novembro, quando a estrutura em construção desabou.

O túnel afetado faz parte de um plano para ligar cidades que abrigam dois dos mais sagrados templos hindus da região. A operação de resgate avançou lentamente devido à queda dos escombros e dos problemas com as máquinas de perfuração.

Tubo de resgate e macas

Especialistas iniciaram a perfuração manual dos escombros na segunda-feira, após a máquina que realizava este trabalho não conseguir romper um emaranhado de barras enterradas em estruturas metálicas. O equipamento continuou a ser usado para perfurar acima do túnel. Para o resgate, foi necessário atingir uma profundidade de 86 metros.

Na manhã desta terça-feira, o governo estadual anunciou a conclusão da perfuração. Depois, o ministro-chefe, Pushkar Singh Dhami, confirmou nas redes sociais que o tubo de escape havia sido colocado na passagem perfurada, expressando otimismo sobre a retirada dos trabalhadores, que sobreviveram graças a um conduto pelo qual foi bombeado oxigênio.

Nas redes sociais foram divulgadas fotos dos socorristas comemorando e fazendo o sinal de vitória após o fim da perfuração do buraco para chegar até o local onde os trabalhadores estavam presos. A equipe de resgate também preparou um sistema com macas para retirar as vítimas.

Estado dos trabalhadores

Em 21 de novembro foi possível ver, pela primeira vez desde o incidente, imagens que mostram como estavam as vítimas que ficaram presas. Na ocasião, já havia se passado dez dias desde o desabamento. O registro foi feito com uma câmera endoscópica que foi colocada em um tubo fino utilizado para fornecer oxigênio, comida e água aos trabalhadores.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Quais países legalizaram ou descriminalizaram a maconha?
Mundo

Quais países legalizaram ou descriminalizaram a maconha?

Há 3 horas

Empresa na Coreia do Sul oferece R$ 375 mil para que funcionários tenham filhos
Mundo

Empresa na Coreia do Sul oferece R$ 375 mil para que funcionários tenham filhos

Há 3 horas

Integrante da Força Aérea americana ateia fogo ao corpo diante da embaixada de Israel
Mundo

Integrante da Força Aérea americana ateia fogo ao corpo diante da embaixada de Israel

Há 4 horas

Trem de carga percorre 70 km sem maquinista na Índia
Mundo

Trem de carga percorre 70 km sem maquinista na Índia

Há 4 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais