Acompanhe:

Submarino desaparecido: Guarda Costeira dos EUA confirma que ninguém sobreviveu

As equipes de busca descobriram "cinco grandes pedaços diferentes de detritos" da cabine de pressão do Titan, o que indicaria a morte de todos os tripulantes

Modo escuro

Continua após a publicidade
Destroços encontrados eram do submarino, diz Guarda Costeira dos EUA (Coletiva da Guarda Costeira/Reprodução)

Destroços encontrados eram do submarino, diz Guarda Costeira dos EUA (Coletiva da Guarda Costeira/Reprodução)

A Guarda Costeira dos Estados Unidos declarou, em coletiva de imprensa, que ninguém a bordo do submarino desaparecido na região do naufrágio do Titanic sobreviveu. "Os detritos eram consistentes com a perda catastrófica da câmara de pressão, que gerou a morte de toda a tripulação", destacou o contra-almirante John Mauger, comandante do Primeiro Distrito da Guarda Costeira.

O veículo operado remotamente (ROV) pela instituição encontrou o cone de cauda do Titan no fundo do mar, a cerca de 500 metros de distância da proa do Titanic. As equipes de busca também descobriram "cinco grandes pedaços diferentes de detritos" da cabine de pressão do Titan. "Essa foi a primeira indicação de que houve um evento catastrófico ", disse Mauger. As famílias já foram notificadas. O submarino tinha 96 horas de oxigênio, que acabaram na manhã desta quinta-feira, 22.

Os oficiais da Guarda Costeira também destacaram que a recuperação dos corpos é uma operação quase impossível, dada a profundidade onde foram encontrados os destroços e a pressão da água a essa altura.

O que diz a OceanGate, empresa dona do submersível?

Minutos antes, a OceanGate, empresa dona do submersível, disse, em entrevista à CNN, que já acreditava que ninguém da tripulação sobreviveria.

"Agora acreditamos que nosso CEO Stockton Rush, Shahzada Dawood e seu filho Suleman Dawood, Hamish Harding e Paul-Henri Nargeolet, infelizmente, não sobreviveram”, disse a empresa em um comunicado. “Esses homens eram verdadeiros exploradores, que compartilhavam um espírito distinto de aventura e uma profunda paixão por explorar e proteger os oceanos do mundo. Nossos corações estão com essas cinco almas e todos os membros de suas famílias durante esse período trágico. Lamentamos a perda de vidas e a alegria que eles trouxeram para todos que conheciam”.

Destroços eram do submersível?

A Guarda Costeira dos Estados Unidos também confirmou que os destroços encontrados recentemente na região são, de fato, do submersível desaparecido. A busca pela cápsula da tripulação do navio Titan ainda continua, e nem os passageiros ou a embarcação foram encontrados.

Segundo memorando avaliado pela CNN, os destroços foram localizados no fundo do oceano, a cerca de 500 metros da proa do Titanic, e foram localizados na parte da manhã. No último domingo, 18, o Titan perdeu contato com a equipe da empresa responsável pela expedição, cerca de 1 hora e 45 minutos após iniciar a descida de quase 4 mil metros de profundidade no oceano. Além da Guarda Costeira americana, autoridades do Canadá e da França reforçaram a busca.

Um navio francês equipado com um robô de mergulho em alto mar reforçou as buscas durante a manhã. Ele desacelerou próximo da área onde o submarino perdeu o contato com a empresa dona do veículo aquático. A desaceleração foi registrada pelo Marine Traffic, site que mostra o tráfego de navios pelo mundo.  Especialistas afirmaram que a desaceleração do navio pode significa que ela tenha encontrado algo no fundo do mar. 

O que já foi feito nas buscas pelo submarino desaparecido

Em coletiva de imprensa, o capitão Jamie Frederick, da Guarda Costeira dos EUA, afirmou que as equipes já vasculharam mais de 26 mil km² de mar aberto, aproximadamente o tamanho do estado de Alagoas.

Aviões e barcos realizam as busca na superfície, caso o submarino tenha emergido, mas perdido a comunicação. Boias de sonar foram lançadas no mar para tentar localizar o submarino submerso. Um robô submarino francês capaz de mergulhos em águas profundas também participa da busca.

A USCG também tem a disposição um sistema especializado capaz de içar objetos grandes, volumosos e pesados, como submarinos. Novos equipamentos devem ser incorporados na busca nesta quinta-feira.

Buscas em região onde barulhos foram captados

Ontem, sinais subaquáticos foram captados por um avião canadense. O anúncio da detecção de ruídos foi o sinal mais esperançoso da possibilidade de resgate das cinco pessoas a bordo do submersível Titan.

Segundo o capitão Frederick, as equipes ainda não sabem o que são os sons, mas as operações foram direcionadas para a região onde os ruídos foram captados.

Por que é difícil achar o submarino desaparecido?

Fatores como a profundidade que o submarino pode estar, a falta de luz a noite e o estado do mar dificultam a operação de resgate. A Guarda Costeira dos EUA explicou que as operações de busca são complexas. "É um desafio realizar uma busca nessa área remota, mas estamos mobilizando todos os recursos disponíveis para garantir que possamos localizar a embarcação e resgatar as pessoas a bordo", afirmou na segunda-feira o contra-almirante John Mauger. O capitão Frederick afirmou ontem que a busca segue "complexa" e que as equipes estão "trabalhando sem parar".

Quem está no submarino que iria para o Titanic?

No Titan viajavam o bilionário britânico Hamish Harding, presidente da empresa de jatos particulares Action Aviation, o empresário paquistanês Shahzada Dawood, vice-presidente do conglomerado Engro, e seu filho, Suleman, o mergulhador francês Paul-Henri Nargeolet, especialista nos destroços do Titanic, e Stockton Rush, CEO da OceanGate Expeditions.

Passageiros estavam conscientes do perigo

Todos estavam cientes dos perigos da expedição, disse Reiss à BBC. "Você assina um documento antes de embarcar, e na primeira página a morte é mencionada três vezes".

Qual o valor do passeio no submarino até o Titanic?

O custo da excursão é US$ 250.000 (aproximadamente R$ 1,2 milhão) por passageiro. O pacote também pode incluir um mergulho de oito horas até os destroços da embarcação inglesa.

Dono do submarino desaparecido, que está a bordo, já afirmou que segurança é desperdício

Stockton Rush, fundador e CEO da OceanGate, empresa responsável pelo submarino 'Titan' que desapareceu no domingo após iniciar uma expedição rumo aos destroços do Titanic, afirmou em um podcast que "em algum momento, a segurança é apenas puro desperdício". O empresário é um dos tripulantes que estão dentro do submersível perdido no Oceano Atlântico.

Qual é a profundidade do Titanic?

O Titanic zarpou do porto inglês de Southampton em 10 de abril de 1912 para sua viagem inaugural rumo a Nova York, mas afundou depois de colidir com um iceberg cinco dias depois.  Dos 2.224 passageiros e tripulantes, morreram quase 1.500.

Os destroços do transatlântico foram descobertos em 1985 a 650 quilômetros da costa canadense, a 4.000 metros de profundidade, em águas internacionais do Oceano Atlântico. Desde então, a área é visitada por caçadores de tesouros e turistas.

Embora o submarino ainda possa estar intacto durante o mergulho, "são poucas as embarcações" capazes de ir até a profundidade em que o Titan pode ter viajado.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Migaloo: conheça o iate submersível de R$ 10 bilhões
Casual

Migaloo: conheça o iate submersível de R$ 10 bilhões

Há uma semana

Submarino some misteriosamente perto da 'Geleira do Juízo Final'
Mundo

Submarino some misteriosamente perto da 'Geleira do Juízo Final'

Há 2 semanas

Naufrágio na Índia deixa ao menos 15 mortos, sendo 13 crianças
Mundo

Naufrágio na Índia deixa ao menos 15 mortos, sendo 13 crianças

Há um mês

Pescador cai de barco, fica 24 horas no mar e é salvo pelo reflexo de seu relógio na Nova Zelândia
Pop

Pescador cai de barco, fica 24 horas no mar e é salvo pelo reflexo de seu relógio na Nova Zelândia

Há um mês

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais