Mundo

Sim tem 60% nos primeiros resultados do referendo sobre aborto na Irlanda

Depois de confirmados os resultados, próximo passo será o governo redigir um novo projeto, autorizando o aborto durante as 12 primeiras semanas de gestação

Irlanda: liberação do aborto é desfecho de uma revolução tranquila, disse goveno (Marko Djurica/Reuters)

Irlanda: liberação do aborto é desfecho de uma revolução tranquila, disse goveno (Marko Djurica/Reuters)

A

AFP

Publicado em 26 de maio de 2018 às 10h15.

O "sim" obtinha pouco mais de 60% dos votos nos primeiros resultados oficiais anunciados neste sábado (26), após o histórico referendo na Irlanda sobre a liberalização do aborto.

De acordo com o escritório de contagem central baseado em Dublin, 60,19% dos eleitores de Galway East - primeira circunscrição apurada de um total de 40 - se declararam favoráveis a uma liberalização da legislação sobre o aborto. Hoje, a lei irlandesa é uma das mais restritivas da Europa. A participação foi de 63%.

O primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, considerou, neste sábado, que o inequívoco "sim" no referendo sobre a liberalização do aborto no país é "o desfecho de uma revolução tranquila".

"O que nós vemos hoje é o desfecho de uma revolução tranquila, que transcorreu na Irlanda ao longo dos últimos dez, ou 20 anos", declarou à rede pública RTE.

Depois de confirmados os resultados, o próximo passo será o governo redigir um novo projeto de lei, autorizando o aborto durante as 12 primeiras semanas de gestação e até as 24 semanas por motivos de saúde.

Acompanhe tudo sobre:AbortoIrlandaReferendoSaúde

Mais de Mundo

Helicóptero com o presidente do Irã faz 'pouso forçado', diz TV estatal

'Todo mundo com Edmundo!': oposição esquenta campanha presidencial na Venezuela

Biden e Trump trocam ataques em atos de campanha

Muro 'anti-Haiti' vira bandeira eleitoral na República Dominicana

Mais na Exame