Acompanhe:

A ambientalista Andrea González, que integrava a chapa do candidato à Presidência do Equador assassinado Fernando Villavicencio, assumirá seu lugar na disputa das eleições de 20 de agosto, informou o partido de centro Construye neste sábado (12).

"O movimento vai substituir o binômio presidencial, colocando Andrea González como presidente", informou a organização em um comunicado.

González, de 36 anos, acompanhava Villavicencio, de 59, em suas pretensões presidenciais, até que pistoleiros o executaram a tiros na quarta-feira ao sair de um comício no norte de Quito.

A nova candidata presidencial era aliada do político havia anos, quando ele trabalhava como jornalista investigativo antes de ingressar na Assembleia Nacional (2021-2023).

Durante seu trabalho jornalístico, o candidato assassinado revelou escândalos milionários de corrupção, entre eles um que levou à justiça o ex-presidente de esquerda Rafael Correa (2007-2017), que acabou sendo condenado à revelia a oito anos de prisão.

Villavicencio era o segundo nas intenções de voto (13,2% dos consultados), segundo pesquisa da empresa Cedatos.

Como estão as eleições do Equador?

Em 20 de agosto, Andrea González enfrentará Luisa González, vinculada a Correa e que lidera as pesquisas com 26,6% das intenções de voto, o líder indígena Yaku Pérez, o ex-vice-presidente Otto Sonnenholzner, além de outros candidatos.

"O nome do candidato a vice-presidente será anunciado nas próximas horas e será escolhido entre as pessoas de maior confiança e que compartilharam as lutas do nosso companheiro, Fernando Villavicencio", acrescentou o Construye.

Antes da decisão, o partido havia aventado a possibilidade de González ser candidata a vice na cédula e assumir o poder em caso de vitória.

A lei equatoriana permite que os partidos designem um substituto para candidatos mortos antes da eleição.

No domingo, ela deverá participar do debate presidencial organizado em Quito pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE).

O trabalho de González tem se concentrado na defesa do meio ambiente. Ela tem atuado como ativista a favor dos oceanos, dos manguezais e contra o tráfico da fauna e o desmatamento.

Atualizações do crime

As autoridades não esclareceram quem pagou os pistoleiros que atiraram nele. Seis colombianos foram detidos por envolvimento no caso, enquanto um sétimo morreu em uma troca de tiros com seguranças do candidato.

O presidente Guillermo Lasso se limitou a dizer que ele foi vítima do crime organizado.

O Equador tem sido vítima da criminalidade relacionada aos cartéis de narcotraficantes, alguns colombianos e mexicanos que tiram a cocaína de portos do Pacífico rumo à Europa e aos Estados Unidos.

A violência vinculada ao narcotráfico fez disparar a taxa de homicídios, que atingiu o recorde de 26 por 100.000 habitantes em 2022, quase o dobro do ano anterior.

Líder de gangue é transferido de presídio

Autoridades equatorianas transferiram do presídio neste sábado, 12, o líder do grupo criminoso mais poderoso do país, a quem Villavicencio acusou de tê-lo ameaçado antes de ser morto. Na época, um "emissário de codinome Fito" o contactou, explicou Villavicencio. Foi "para dizer que se eu continuar (...) mencionando Los Choneros, vão me quebrar (assassinar)", disse ao programa Vis a Vis. Outra ameaça chegou por mensagem de texto de um usuário, que tinha como foto de perfil uma imagem de "Fito", condenado a 34 anos de prisão por crime organizado, narcotráfico e homicídio.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
TSE encontra candidaturas laranjas e fraude em cotas para mulheres em 14 cidades
Brasil

TSE encontra candidaturas laranjas e fraude em cotas para mulheres em 14 cidades

Há 7 horas

Juízes e políticos do Equador são detidos por supostos vínculos com narcotráfico
Mundo

Juízes e políticos do Equador são detidos por supostos vínculos com narcotráfico

Há 9 horas

Eleições 2024: Ricardo Nunes, prefeito de SP e pré-candidato, é entrevistado da Exame nesta segunda
Brasil

Eleições 2024: Ricardo Nunes, prefeito de SP e pré-candidato, é entrevistado da Exame nesta segunda

Há um dia

Shehbaz Sharif é eleito primeiro-ministro do Paquistão pela 2ª vez
Mundo

Shehbaz Sharif é eleito primeiro-ministro do Paquistão pela 2ª vez

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais