Protesto da oposição na Síria registra 20 mortes

Informação é da Al Jazeera, mas há diferentes versões sobre quem provocou os incidentes e quantas pessoas de fato morreram

Cairo - Pelo menos 20 pessoas morreram e 100 ficaram feridas nas últimas horas perto da cidade síria de Homs, onde foram realizados nesta segunda-feira os funerais das vítimas de protestos anteriores, informou a rede de televisão "Al Jazeera".

A emissora não forneceu detalhes sobre a identidade das vítimas, que morreram neste domingo à noite em confusos incidentes registrados em Homs e arredores, onde ocorreu um protesto da oposição e um choque armado entre civis e forças de segurança.

O aumento do número de vítimas, que antes eram 14, coincide com a realização de vários funerais na cidade ao norte de Damasco dos mortos de recentes protestos.

As cerimônias, que saíram de três mesquitas, contaram com a presença de milhares de pessoas, segundo explicou uma testemunha à "Al Jazeera".

Os distúrbios nos quais morreram pelo menos 20 pessoas ocorreram neste domingo à noite na cidade de Talbisa, próxima a Homs e perto da fronteira com o Líbano.

Segundo a "Al Jazeera", aparentemente os disparos foram efetuados durante o funeral de uma pessoa que morreu no sábado em um protesto.

Além disso, alguns moradores da localidade derrubaram uma estátua de Al-Assad, o que também se desdobrou em confrontos nos quais, segundo fontes da oposição, civis leais ao regime sírio dispararam contra os manifestantes.

No entanto, existem versões divergentes sobre o ocorrido e sobre o número de vítimas. Fontes do Ministério do Interior afirmaram que um grupo armado desconhecido matou quatro civis em Talbisa.

Já a agência oficial síria, "Sana", informou nesta segunda-feira que um policial morreu e outros 11 ficaram feridos nesta localidade quando um grupo de franco-atiradores disparou contra agentes policiais de edifícios situados perto de uma estrada neste domingo à noite.

Uma unidade militar que foi enviada à área iniciou um tiroteio com os agressores, segundo a "Sana", e nessa troca de tiros três dos atiradores morreram, enquanto outros 15 deles e cinco militares ficaram feridos.

A Síria está sendo palco de protestos da oposição que exigem reformas políticas no regime de Bashar al-Assad. O governo de Damasco acusa grupos estrangeiros não identificados de estarem por trás das manifestações.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.