Mundo

Palestinos atacam decisão de Bolsonaro sobre Jerusalém

Autoridade palestina afirmou que trata-se de uma medida provocadora e que é ilegal diante do direito internacional

Jerusalém: Brasil pode ser terceiro país a transferir a embaixada (Ahmad Gharabli/AFP/AFP)

Jerusalém: Brasil pode ser terceiro país a transferir a embaixada (Ahmad Gharabli/AFP/AFP)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 2 de novembro de 2018 às 11h01.

Genebra - Autoridades palestinas, frequentemente divididas, se uniram para criticar de forma explícita o anúncio do presidente eleito Jair Bolsonaro, de mudar a embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém. "Trata-se de uma medida provocadora, que é ilegal diante do direito internacional e que não faz nada mais que desestabilizar a região", disse Hanane Achraoui, uma alta autoridade palestina, à agência de notícias internacionais AFP.

Ashrawi foi por anos porta-voz da delegação palestina nas negociações de paz e uma das principais vozes em Ramallah, além da primeira mulher a ser eleita para o Conselho Nacional Palestino. Na quinta-feira, Bolsonaro declarou ao jornal israelense Israel Hayom que planejava transferir a embaixada brasileira em Israel. Se o fizer, o Brasil se tornará o terceiro país, depois de Guatemala e dos Estados Unidos a anunciarem a medida.

Questionado, Bolsonaro disse que Israel deveria ter liberdade para escolher sua capital. "Quando me perguntaram, durante a campanha, se eu faria isso uma vez que me tornasse presidente, eu respondia que 'sim, cabe a vocês decidirem qual é a capital de Israel, não a outras nações'", declarou.

Nas redes sociais, o grupo Hamas, que está no poder em Gaza e é acusado de radicalismo, deixou claro que não vê com bons olhos a decisão do Brasil. "Rejeitamos a decisão do presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, de mover a embaixada de Tel Aviv para Jerusalém e pedimos que ele abandone sua decisão", declarou o porta-voz do Hamas, Sami Abu Zuhri. Para ele, a iniciativa é um "passo hostil ao povo palestino".

Acompanhe tudo sobre:IsraelJair BolsonaroJerusalémPalestina

Mais de Mundo

Campanha presidencial mexicana chega ao fim com duas candidatas na disputa

Temperatura na capital da Índia bate recorde e supera 50ºC

Telescópio europeu Euclides descobre novos "planetas órfãos"

 Com eleições marcadas para hoje, partido de Mandela pode perder maioria pela primeira vez em 30 anos

Mais na Exame