Mundo

'Ozempic falso': Austrália proíbe cópias de medicamentos para perda de peso

País quer evitar incidentes graves com medicações para perda de peso

Fernando Olivieri
Fernando Olivieri

Redator na Exame

Publicado em 22 de maio de 2024 às 07h00.

A Austrália proibirá farmácias de criar réplicas de medicamentos populares para perda de peso, como o Ozempic, após relatos de efeitos colaterais perigosos, incluindo a hospitalização de um paciente devido a um “incidente adverso grave”. A informação é da Bloomberg.

O ministro da Saúde, Mark Butler, anunciou na quarta-feira, 22, que as farmácias serão restringidas de fabricar produtos compostos de agonistas do receptor GLP-1, uma classe de medicamentos que ajudam a controlar os níveis de açúcar no sangue, para pacientes individuais. Essa brecha, anteriormente, permitia a criação de produtos semelhantes ao Ozempic que não haviam sido aprovados pelos reguladores australianos.

Mais de 20.000 pacientes australianos têm usado medicamentos “cópias”, em grande parte para tentar perder peso, segundo Butler. “Embora eu entenda que esta ação possa preocupar algumas pessoas, o risco de não agir é muito maior”, disse ele. “Você só precisa olhar para os relatos recentes de indivíduos impactados pela composição em larga escala para perceber os perigos.”

Escassez do produto

A crescente demanda por medicamentos para perda de peso, incluindo o Ozempic da Novo Nordisk, levou a uma escassez desses medicamentos em todo o mundo, mesmo com alguns usuários relatando efeitos colaterais, como náusea. Uma pesquisa realizada em maio nos EUA encontrou que um em cada oito consumidores havia tentado alguma variação da nova classe de medicamentos.

O movimento do governo australiano é apoiado pela Administração de Produtos Terapêuticos do país, enquanto, internacionalmente, a Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA, em inglês) alertou sobre os perigos de injetar alguns produtos compostos após incidentes adversos na América.

Acompanhe tudo sobre:SaúdeOzempicAustrália

Mais de Mundo

Brasil é 3º país mais inseguro da América do Sul, diz Global Peace Index

Candidato à presidência denuncia 'prisão arbitrária' de assistentes na Venezuela

Pequeno município no leste da China desenvolve indústria panificadora bilionária

Após escândalo com PwC na China, KPMG e EY assumem auditorias no país

Mais na Exame