Mundo

ONU condena bombardeio de coalizão contra casamento no Iêmen

Secretário-geral António Guterres enviou condolências às famílias das vítimas e pediu apuração rápida e transparente sobre ataque

Iêmen: cerca de 50 civis teriam morrido em ataque no último domingo, segundo as Nações Unidas (REUTERS/Stringer NO RESALES. NO ARCHIVES./Reuters)

Iêmen: cerca de 50 civis teriam morrido em ataque no último domingo, segundo as Nações Unidas (REUTERS/Stringer NO RESALES. NO ARCHIVES./Reuters)

E

EFE

Publicado em 23 de abril de 2018 às 17h47.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou nesta segunda-feira os bombardeios da coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita contra um casamento no Iêmen e pediu uma rápida investigação sobre o ocorrido.

Guterres "condena energicamente" esses ataques aéreos registrados na noite do domingo na província de Haya, segundo disse seu porta-voz, Stéphane Dujarric, em um breve comunicado.

"O secretário-geral expressa suas mais profundas condolências às famílias e aos amigos dos mortos", afirmou Dujarric.

Segundo o porta-voz, Guterres lembra a todas as partes do conflito sua obrigação de proteger os civis e exige uma investigação "rápida, eficaz e transparente".

No ataque, segundo indicam as Nações Unidas, supostamente morreram 50 civis, incluindo crianças, e muitos mais ficaram feridos, embora outras apurações apontem para a morte de cerca de 20 pessoas.

 

Acompanhe tudo sobre:Arábia SauditaIêmenONU

Mais de Mundo

União Europeia repreende sete países por desrespeito às regras financeiras do bloco

Argentina faz acordo com El Salvador para ter modelo de segurança acusado de violar direitos humanos

Acordo entre Rússia e Coreia do Norte prevê assistência mútua em caso de 'agressão', afirma Putin

Suécia faz acordo de defesa com EUA que possibilitará envio de armas nucleares

Mais na Exame