Acompanhe:

O plano de Israel para acabar com os túneis do Hamas — e suas consequências irreversíveis

Estruturas com até 30 metros de profundidade são alvo prioritário dentro da estratégia israelense de aniquilar o grupo terrorista de Gaza

Modo escuro

Continua após a publicidade
Gaza: túneis são usados pelo Hamas para transportar os seus militantes de um lugar para outro e para armazenar armas. (	SOPA Images /Getty Images)

Gaza: túneis são usados pelo Hamas para transportar os seus militantes de um lugar para outro e para armazenar armas. ( SOPA Images /Getty Images)

Os militares de Israel disseram que a missão de destruir cerca de 500 Km de túneis do Hamas na Faixa de Gaza levará meses, causando uma escala de destruição urbana que pode ser impossível de reverter. O resultado devastador de uma campanha prolongada contra o grupo militante – com ataques aéreos e batalhas terrestres continuando paralelamente aos ataques nos túneis – provavelmente deixará muitos dos cerca de 2,2 milhões de palestinos desabrigados e um ponto de interrogação sobre onde poderão ser realojados.

Em Beit Hanoun, uma cidade de mais de 50 mil habitantes no norte da Faixa de Gaza, os militares israelenses começaram a explodir quase 100 poços e várias dezenas de túneis, disse o tenente-coronel Amit, que está supervisionando sua destruição e omitiu seu sobrenome de acordo com as regras do exército.

Beit Hanoun foi um dos locais a partir dos quais o Hamas lançou o seu ataque surpresa a Israel, que matou cerca de 1,2 mil pessoas em 7 de outubro, desencadeando a guerra em curso. O Hamas é designado como organização terrorista pelos EUA e pela União Europeia.

— Da forma como está agora, não é habitável — disse Amit sobre a cidade, durante um briefing perto de Gaza, na base militar de Tze’elim, onde montou base a 252ª Divisão de Reserva. — Não é bonito o que estamos fazendo. Não há nada de bom nas guerras, mas isso é necessário.

A destruição de túneis é parte do objetivo declarado de Israel de desmantelar a infraestrutura do Hamas para que o grupo não possa repetir um ataque mortal como o de 7 de outubro. Ao mesmo tempo, reduzir grande parte de Gaza a escombros – que as autoridades geridas pelo Hamas dizem ter matado pelo menos 16 mil pessoas, a maioria civis – está a suscitar preocupações internacionais, incluindo nos EUA.

Os habitantes de Gaza foram empurrados para sul pelos combates, mas a campanha de Israel começou a avançar na mesma direção. As Nações Unidas alertaram que os civis ficaram sem portos seguros e poderão ter de ser deslocados para países vizinhos.

A situação está a “deteriorar-se rapidamente para uma catástrofe”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres, na quarta-feira, intensificando seu pedido de cessar-fogo.

Os túneis, que são usados pelo Hamas para transportar os seus militantes de um lugar para outro e para armazenar armas, estão localizados principalmente em áreas densamente povoadas, disse Amit, usando um mapa para ilustrar.

Muitas são as armadilhadas, assim como as casas e as estradas, o que significa que são necessários equipamentos pesados de desminagem, como escavadoras, aumentando a extensão dos danos. Em uma apresentação, os militares mostraram fotografias e vídeos de foguetes, granadas e fuzis automáticos Kalashnikov que disseram ter sido encontrados escondidos em casas, escolas e hospitais.

Prédio de 10 andares

— Nosso objetivo é ferir o Hamas e destruir o Hamas como organização política e militar, mas você pode ver que esses túneis estão sob as casas das pessoas normais — disse Amit, com seu discurso ocasionalmente pontuado pelo rugido dos aviões de combate em direção a Gaza.

Até agora, os militares descobriram 800 túneis em Gaza e destruíram 500 deles, sendo Beit Hanoun uma área de especial atenção. Agora, praticamente todos os habitantes fugiram da cidade, da qual pouco resta. Amit é um reservista cujo trabalho civil consiste na renovação urbana, embora diga que agora está a fazer o oposto.

Algumas das instalações subterrâneas têm 30 metros de profundidade, o equivalente à altura de um prédio de 10 andares. Destruí-los é um processo meticuloso, com uma quantidade considerável de explosivos necessários para derrubar as paredes de concreto e as portas resistentes a explosões.

O Hamas vem construindo túneis desde 2008 e destruir essas infraestruturas "levará meses", disse ele.

— Seremos capazes de destruir o Hamas como organização funcional e então a infraestrutura levará tempo — acrescentou Amit.

Israel ainda não demonstrou que tem um plano para Gaza depois da guerra. Aliados importantes, como os EUA, expressaram preocupação com a ausência de uma estratégia de longo prazo, tal como fizeram as principais nações árabes.

No entanto, por enquanto, os militares não desistem de perseguir os objetivos para o território – independentemente dos danos causados.

— Para que Gaza seja desmilitarizada, só há uma força que pode cuidar dessa desmilitarização, e essa força são as Forças de Defesa de Israel — disse Benjamin Netanyahu, o primeiro-ministro do país, em 5 de dezembro. — Eu não estou pronto para fechar os meus olhos e aceitar qualquer outro acordo.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Irmão de Joe Biden depõe em investigação de republicanos sobre presidente
Mundo

Irmão de Joe Biden depõe em investigação de republicanos sobre presidente

Há 7 horas

Parlamento de Israel favorece Netanyahu e rejeita reconhecimento unilateral de Estado palestino
Mundo

Parlamento de Israel favorece Netanyahu e rejeita reconhecimento unilateral de Estado palestino

Há 7 horas

Desabamento de mina deixa ao menos 25 mortos na Venezuela
Mundo

Desabamento de mina deixa ao menos 25 mortos na Venezuela

Há 7 horas

Mãe de Alexei Navalni entra com ação judicial para liberação de corpo do ativista
Mundo

Mãe de Alexei Navalni entra com ação judicial para liberação de corpo do ativista

Há 8 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais