Acompanhe:

No pontapé inicial das primárias democratas, o presidente norte-americano Joe Biden venceu, neste sábado, no estado da Carolina do Sul, derrotando o deputado Dean Phillips e a escritora Marianne Williamson.

Uma das estratégias utilizadas para garantir a vantagem foi a mobilização dos eleitores negros, grupo fundamental para um possível embate em novembro entre Biden, 81, e o ex-presidente Donald Trump, 77.

“Em 2020, foram os eleitores da Carolina do Sul que provaram que os especialistas estavam errados e nos colocaram no caminho para ganhar a presidência. Agora, em 2024, o povo da Carolina do Sul falou novamente e não tenho dúvidas de que eles nos colocaram no caminho para ganhar a presidência e fazer de Donald Trump um perdedor”,  disse Biden em um comunicado. Nessas primárias, o presidente democrata ganhou todos os 55 delegados democratas da região. 

Durante o período de votação, os eleitores negros listaram algumas razões para apoiar Biden, passando pela defesa do direito ao aborto até à nomeação de juristas negros e outras minorias nos tribunais federais. Outros disseram que Trump pode ser uma ameaça à democracia, por afirmar que a votação de 2020 foi roubada.

Mas pesquisas mostram que o apoio à Biden diminuiu entre os eleitores negros mais jovens, principalmente por frustrasções a pontos não priorizados pela sua agenda.  

O calendário das votações contou com modificações: as primárias em Nevada acontecerão nesta terça-feira, 6, enquanto as primárias no Michigan acontecerão em 27 de fevereiro – antes de outras votações abrirem em 5 de março, dia conhecido como Super Terça.

Em contrapartida, New Hampshire rejeitou o plano de modificações nas datas e realizou as primárias iniciais no mês passado. Em vídeo publicado no X (antigo Twitter), o presidente democrata agradeceu seus apoiadores por comparecerem às urnas na Carolina do Sul:

A importância da Carolina do Sul nas primárias

O estado da Carolina do Sul é historicamente republicano desde 1980  mas cerca de 26% dos seus residentes são pessoas pretas. Em 2020, nas eleições gerais, os eleitores negros representavam mais de 10% do eleitorado nacional e 9 em cada 10 apoiaram Biden, segundo a AP VoteCast. Para Biden, a região é um campo de testes de sua popularidade. 

A Carolina do Sul mantém uma relação profunda com Biden, com apoiadores e doadores. Mas em 2020, a vitória no estado reavivou o esforço democrata, com Biden apoiado pelo deputado do estado, Jim Clyburn. 

Mesmo estando em viagem neste final de semana, o presidente falou com algumas rádios negras e disse: “A única razão pela qual estou falando com você hoje como presidente dos Estados Unidos da América é por causa da Carolina do Sul. Isso não é uma hipérbole. Isso é um fato”, disse à rádio WWDM. 

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Biden insta Congresso a votar ajuda para a Ucrânia
Mundo

Biden insta Congresso a votar ajuda para a Ucrânia

Há 10 horas

Tiroteio durante evento do ramadã deixa pelo menos três feridos nos EUA
Mundo

Tiroteio durante evento do ramadã deixa pelo menos três feridos nos EUA

Há 12 horas

Após CPI, Biden pede que empresas usem lucros recordes para cortar preços de alimentos
Economia

Após CPI, Biden pede que empresas usem lucros recordes para cortar preços de alimentos

Há 16 horas

Biden diz que Israel cometeu 'erro' ao lidar com a guerra em Gaza
Mundo

Biden diz que Israel cometeu 'erro' ao lidar com a guerra em Gaza

Há 19 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais