Libertadas 19 mulheres em fábrica de bebês na Nigéria

A polícia nigeriana declarou ter realizado uma operação em uma casa onde viviam 19 mulheres grávidas que planejavam vender seus bebês

Lagos - A polícia nigeriana declarou nesta sexta-feira ter realizado uma operação em uma casa onde viviam 19 mulheres grávidas que planejavam vender seus bebês.

O proprietário da casa está foragido, declarou Geoffrey Ogbonna, porta-voz policial do estado de Abia (sudeste).

A polícia "resgatou 19 futuras mães em diferentes estágios de gestação", declarou à AFP.

Algumas das mulheres, de 15 a 23 anos, disseram à polícia que "fugiram de casa para evitar o estigma de ter uma gravidez não desejada da qual não poderiam se encarregar", explicou o porta-voz.

O sudeste da Nigéria enfrenta uma epidemia de tráfico de seres humanos e, durante o último ano, foram descobertas várias fábricas de bebês destinados ao mercado negro.

As mulheres costumam receber uma parte do dinheiro obtido com a venda de seus filhos.

Também foram registrados casos, embora menos frequentes, de mulheres sequestradas e que engravidaram à força.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.