Acompanhe:

Legisladores pedem a Trump sanções ao governo de Maduro

Os congressistas americanos solicitam na carta sanções contra os venezuelanos que forem responsáveis pelas violações aos direitos humanos

Modo escuro

Continua após a publicidade
Maduro: "A crítica situação humanitária na Venezuela pede uma política externa efetiva e clara" (Marco Bello/Reuters)

Maduro: "A crítica situação humanitária na Venezuela pede uma política externa efetiva e clara" (Marco Bello/Reuters)

E
EFE

Publicado em 8 de fevereiro de 2017 às, 19h09.

Washington - Um total de 34 legisladores americanos solicitaram nesta quarta-feira ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que adote medidas imediatas para sancionar os integrantes do governo venezuelano que estão "se beneficiando" com violações dos direitos humanos na Venezuela.

Em carta liderada pelo senador democrata Robert Menéndez e pela representante republicana Ileana Ros-Lehtinen, os congressistas solicitam ao líder americano que faça uso de sua capacidade executiva "e envie uma mensagem clara" ao governo de Nicolás Maduro.

"Escrevemos para solicitar que seu governo adote ações imediatas para sancionar os oficiais do regime que estão se beneficiando da terrível situação humanitária e roubando os recursos estatais e violando os direitos humanos na Venezuela", diz o texto.

"Além disso, a recente nomeação por parte de Nicolás Maduro do vice-presidente Tareck El Aissami o coloca na fila para possivelmente se tornar o próximo líder da Venezuela, o que é extremamente preocupante dados seus demonstrados vínculos com o narcotráfico e as organizações terroristas", acrescenta a carta.

Maduro delegou no final do mês passado 15 de suas atribuições, entre elas ditar decretos relacionados a transferências orçamentárias, expropriações e a nomeação de vice-ministros.

Os congressistas americanos solicitam na carta sanções contra os venezuelanos que forem responsáveis pelas violações aos direitos humanos, incluindo aqueles que supostamente estão envolvidos na exploração da crise de alimentos no país.

"A crítica situação humanitária na Venezuela pede uma política externa efetiva e clara, na qual todos os prisioneiros políticos, incluindo cidadãos dos Estados Unidos, sejam libertados imediatamente e aqueles que violam os direitos humanos tenham que prestar contas", acrescentou Ros-Lehtinen após divulgar a carta.

"A comunidade internacional não pode continuar de braços cruzados enquanto o povo venezuelano sofre de escassez de alimentos e equipamentos médicos, enquanto se multiplicam os abusos aos direitos humanos e as atividades criminosas estão fora de controle", complemantou.

Menéndez lembrou que o governo de Barack Obama fez uso de sua autoridade em uma ocasião para sancionar funcionários venezuelanos, mas dada a situação de deterioração na Venezuela, considerou que Trump deve ser mais firme.

"Agora, enquanto vemos a Venezuela em uma espiral descendente rumo a um Estado fracassado, o governo de Trump deve utilizar a autoridade conferida pelo Congresso para exercer a liderança americana sancionando mais oficiais do governo venezuelano e indivíduos que violentamente oprimem seus próprios compatriotas e ameaçam a estabilidade regional", afirmou.

Últimas Notícias

Ver mais
Haddad fala em parceria estratégica entre Brasil e Estados Unidos
Economia

Haddad fala em parceria estratégica entre Brasil e Estados Unidos

Há 10 horas

The Act: onde assistir online à verdadeira história bizarra de Gypsy Rose
Pop

The Act: onde assistir online à verdadeira história bizarra de Gypsy Rose

Há 12 horas

Chefes da Defesa de EUA e China se reúnem pela primeira vez em 18 meses
Mundo

Chefes da Defesa de EUA e China se reúnem pela primeira vez em 18 meses

Há 12 horas

Ela começou um negócio com US$ 1.000 num setor dominado por homens. Hoje, gere US$ 15 bilhões
seloNegócios

Ela começou um negócio com US$ 1.000 num setor dominado por homens. Hoje, gere US$ 15 bilhões

Há 14 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais