Itália decreta toque de recolher para conter 2ª onda de covid-19

Regiões da Itália serão divididas em três zonas em função da gravidade da epidemia. De acordo com a situação, as medidas serão mais ou menos restritivas

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, assinou na terça-feira à noite um decreto para instaurar um toque de recolher às 22H00 em todo o território nacional a partir de quinta-feira, informou a imprensa local.

Conte explicará durante o dia outras medidas, como o fechamento dos centros comerciais aos fins de semana. As restrições devem prosseguir até 3 de dezembro.

A Itália foi o primeiro país da Europa afetado pela epidemia de covid-19 em fevereiro e registra mais de 39.000 mortos provocadas pela doença, assim como 750.000 casos.

Segundo o novo decreto, as 20 regiões da Itália serão divididas em três zonas (verde, laranja e vermelho, em função da gravidade da situação epidemiológica). De acordo com sua situação, as medidas serão mais ou menos restritivas.

A nível nacional, um toque de recolher será aplicado de 22H00 às 5H00. Durante o período, os italianos serão autorizados a sair às ruas apenas para trabalhar ou por motivos de saúde devidamente justificados.

As aulas do Ensino Médio acontecerão online e os museus fecharão as portas.

Os centros comerciais permanecerão fechados nos fins de semana e feriados. Os transportes públicos circularão com 50% da capacidade total de passageiros.

Os cruzeiros também serão cancelados a partir de quinta-feira, exceto os que já estão em curso.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.