Mundo

Guerra na Ucrânia: Rússia se vingará das novas sanções ocidentais, afirma ex-presidente

Dmitri Medvedev, afirmou que o país se vingará das sanções ocidentais adotadas por ocasião do segundo aniversário da ofensiva na Ucrânia

Ex-presidente russo e atual número dois do Conselho de Segurança, Dmitri Medvedev, afirmou que o país se vingará das sanções ocidentais adotadas por ocasião do segundo aniversário da ofensiva na Ucrânia (Sean Gallup/Getty Images)

Ex-presidente russo e atual número dois do Conselho de Segurança, Dmitri Medvedev, afirmou que o país se vingará das sanções ocidentais adotadas por ocasião do segundo aniversário da ofensiva na Ucrânia (Sean Gallup/Getty Images)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 24 de fevereiro de 2024 às 08h47.

O ex-presidente russo e atual número dois do Conselho de Segurança, Dmitri Medvedev, afirmou este sábado, 24, que o seu país se vingará das sanções ocidentais adotadas por ocasião do segundo aniversário da ofensiva na Ucrânia e da morte do opositor Alexei Navalny.

Como argumentou na sua conta no Telegram, a razão por trás das sanções anunciadas nos últimos dias pelos Estados Unidos, pela UE e pelo Reino Unido “é clara: quanto pior para os cidadãos russos, melhor para o mundo ocidental”.

“Temos que nos lembrar disso e nos vingar deles sempre que possível. Eles são nossos inimigos”, acrescentou o alto funcionário russo.

Medvedev também encorajou a “criação de dificuldades” nas economias desses países e “fomento do descontentamento popular em relação às políticas incompetentes das autoridades ocidentais”.

Da mesma forma, considerou que a Rússia deveria “realizar outras atividades nos seus territórios, que não podem ser abordadas em público”. Na verdade, a Rússia tem sido frequentemente acusada nos últimos anos de promover campanhas de desinformação nos países ocidentais.

Medvedev, que substituiu Vladimir Putin como presidente da Rússia entre 2008 e 2012, era então considerado uma figura bastante liberal, embora desde o início da campanha russa na Ucrânia, há dois anos, tenha se destacado como uma das vozes mais radicais contra o Ocidente. poderes.

Acompanhe tudo sobre:RússiaUcrânia

Mais de Mundo

Hezbollah anuncia lançamento de foguetes contra Israel

Governo de Javier Milei revisará indenizações às vítimas da ditadura na Argentina

Hezbollah lança ataque mais profundo a Israel em resposta à morte de um de seus membros

Mais na Exame