G7 diz que variante ômicron exige ação urgente e promete agir com OMS

As autoridades se comprometeram a continuar trabalhando junto com a OMS e outras instituições parceiras, para compartilhar informações e monitorar avanço do vírus
G7: Em nota, reconheceram a "importância estratégica" de garantir acesso às vacinas contra covid-19 (Getty Images/style-photography)
G7: Em nota, reconheceram a "importância estratégica" de garantir acesso às vacinas contra covid-19 (Getty Images/style-photography)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 29/11/2021 14:39 | Última atualização em 29/11/2021 15:16Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Os ministros da Saúde do Grupo dos Sete (G7) se reuniram em encontro emergencial para tratar sobre a ômicron, nova variante do coronavírus. "A comunidade global se depara, em uma primeira avaliação, com a ameaça de uma nova variante altamente transmissível da covid-19, que requer ações urgentes", disseram, em comunicado.

As autoridades se comprometeram a continuar trabalhando junto com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e outras instituições parceiras, para compartilhar informações e monitorar avanço do vírus. Os ministros devem fazer uma nova reunião em dezembro.

Em nota, reconheceram a "importância estratégica" de garantir acesso às vacinas contra covid-19 e de levar adiante seus compromissos de doações, além de combater a desinformação sobre vacinas e apoiar pesquisa e desenvolvimento.

Pelo Twitter, o secretário de Saúde do Reino Unido, Sajid Javid, que presidiu a reunião, disse ser "vital" que o G7 continue a colaborar com seus parceiros internacionais "para enfrentar esta nova variante e ameaças futuras".