Mundo

Família Kennedy apoia Biden em vez de Robert Kennedy Jr, que tenta ser 3ª via na eleição

O advogado é filho do ex-procurador-geral democrata "Bobby" Kennedy, assassinado em 1968

Biden respondeu se apresentando como herdeiro político de Bobby Kennedy (Anna Moneymaker/Getty Images)

Biden respondeu se apresentando como herdeiro político de Bobby Kennedy (Anna Moneymaker/Getty Images)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 18 de abril de 2024 às 20h34.

Tudo sobreJoe Biden
Saiba mais

O lendário clã Kennedy expressou apoio ao presidente americano, Joe Biden, nesta quinta-feira, 18, marcando distância do candidato independente e renegado da família, Robert F. Kennedy Jr.

"Não quero me emocionar, mas que honra incrível contar com o apoio da família Kennedy", disse Biden, 81, após receber de 15 membros do clã um apoio importante, diante do temor de que "RFK Jr.", um advogado ambiental conhecido por sua oposição às vacinas, possa inclinar a balança em favor do republicano Donald Trump nas eleições presidenciais de novembro.

Meu tio foi devorado por canibais, diz Biden; Casa Branca diz que não, entenda

O advogado é filho do ex-procurador-geral democrata "Bobby" Kennedy, assassinado em 1968. Sua irmã, Kerry Kennedy, apresentou Biden em um comício, o momento culminante de sua viagem de três dias pelo estado-chave da Pensilvânia.

"Quase todos os netos de Rose e Joe Kennedy apoiam Joe Biden. A família Kennedy apoia Joe Biden para presidente", disse Kerry Kennedy, referindo-se aos patriarcas do clã. "Todos nós precisamos nos unir em uma campanha que deveria unir não apenas os democratas, mas todos os americanos, incluindo os republicanos e os independentes.”

Biden respondeu se apresentando como herdeiro político de Bobby Kennedy. O democrata, 81 anos, mantém um busto de bronze de Robert F. Kennedy Sr. no Salão Oval da Casa Branca.

Robert F. Kennedy Jr. disse que respeita a decisão da família de apoiar seu adversário eleitoral. "Fico feliz que sejam ativos politicamente: é uma tradição familiar", afirmou o candidato independente na rede social X. "Estamos divididos em nossas opiniões, mas unidos em nosso amor mútuo."

Sobrenome tradicional

Essa não foi a primeira demonstração de força em prol da candidatura de Biden por parte dos Kennedy, a família mais mitificada dos Estados Unidos.

Dezenas de Kennedys posaram ao lado de Biden em uma foto no roseiral da Casa Branca por ocasião do Dia de São Patrício, em março, para celebrar a sua herança comum irlandesa. Além disso, Biden inclui os Kennedy em sua narrativa política.

As biografias de Biden dizem que, durante muito tempo, ele tentou emular a retórica de John F. Kennedy, o jovem presidente democrata assassinado em seu apogeu em 1963.

Robert F. Kennedy Jr. pode representar um perigo para as esperanças de Biden de conseguir um segundo mandato.

O candidato, que tem propagado desinformação minimizando a importância da insurreição de 2021 no Capitólio em Washington, conta com dois dígitos de apoio nas pesquisas de intenção de voto, faltando menos de sete meses para o pleito.

Os democratas parecem ter aprendido a lição depois que George W. Bush derrotou Al Gore em 2000 e Donald Trump bateu Hillary Clinton em 2016 muito por causa de, entre outros motivos, o surgimento de candidatos independentes.

RFK Jr., 70, iniciou sua corrida à Casa Branca como democrata, mas abandonou a campanha das primárias sob pressão, segundo ele, de aliados de Joe Biden.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)Joe BidenEleições EUA 2024

Mais de Mundo

Alemanha diz que vai prenderá Netanyahu se houver ordem do Tribunal Penal Internacional

Casas baratas e empregos sobrando: veja as melhores cidades para morar nos EUA

Pela primeira vez, americanos estão usando mais maconha do que bebendo

Nikki Haley, ex-adversária de Trump nas primárias republicanas, anuncia que votará nele

Mais na Exame