Mundo

Estreito de Ormuz: por que a região é tão importante para o petróleo mundial?

Trata-se de um território com 210 quilômetros de extensão e que fica situado entre Irã, Omã e Emirados Árabes Unidos

Pelo Estreito passam 30% do mercado global de petróleo e 20% do de gás natural (Gallo Images / Copernicus Sentinel 2017/ Orbital Horizon)/Getty Images)

Pelo Estreito passam 30% do mercado global de petróleo e 20% do de gás natural (Gallo Images / Copernicus Sentinel 2017/ Orbital Horizon)/Getty Images)

Publicado em 24 de abril de 2024 às 06h48.

Com a recente escalada de tensões no Oriente Médio - ataque contra Israel em outubro de 2023, incursões na Faixa de Gaza desde então, e ataques aéreos mútuos entre Israel e Irã -, despertaram a apreensão a respeito do fornecimento de petróleo para o mundo. Mais especificamente, o Estreito de Ormuz.

Trata-se de um território com 210 quilômetros de extensão e que fica situado entre Irã, Omã e Emirados Árabes Unidos. A importância dele é estratégica: por lá, passam diariamente 20 milhões de barris de petróleo, 30% do mercado mundial. Por ali também passam 20% do comércio mundial de gás natural, segundo dados da Agência Internacional de Energia. Ou seja, qualquer problema ali traria consequências para a economia mundial inteira.

Dada sua localização geográfica privilegiada, o Irã vem ameaçando de forma recorrente fechar o Estreito de Ormuz como forma de protesto contra as sanções que vem sofrendo ao longo dos anos.

Em 2019, Teerã ameaçpu interromper as remessas de petróleo que passavam pelo Estreito de Ormuz depois que o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, se retirou do acordo nuclear histórico assinado em 2015 por Barack Obama. O republicano também voltou com as sanções contra o país islâmico. Desde 2021 o Irã atacou ou interferiu em pelo menos 15 navios mercados com bandeira internacional, segundo dados da Marinha dos EUA.

Preços do petróleo se "acalmam" depois de ataques do Irã

Os preços do petróleo oscilaram nesta sexta-feira depois que Israel realizou um ataque contra o Irã, provocando temores de uma guerra em maior escala no Oriente Médio. Sem registro de mortos ou feridos, a ação israelense foi vista como uma retaliação ao lançamento de mais de 300 mísseis e drones por parte de Teerã no final de semana.

Os preços futuros do petróleo bruto Brent foram negociados em baixa de 0,66%, a US$ 86 por barril, depois de chegarem a US$ 90 no início da sessão. Enquanto isso, os futuros do West Texas Intermediate (fluxo de petróleo bruto produzido no Texas e no sul de Oklahoma e também usado como referência na precificação) caíram 0,68%, sendo negociados a US$ 82,17 por barril.

Acompanhe tudo sobre:Petróleo

Mais de Mundo

Itamaraty lamenta morte de brasileiro na Faixa de Gaza e pede liberação imediata de reféns

Ucrânia atinge complexo russo na Crimeia com mísseis fornecidos pelos EUA

Aumento da violência força Equador a declararar novo estado de emergência

Corte Internacional de Justiça determina que Israel suspenda ofensiva em Rafah

Mais na Exame