Mundo

Envelhecimento da população pressiona "geração sanduíche"; entenda o conceito

OMS estima que as pessoas com mais de 60 anos serão aproximadamente 22% da população global até 2050

Publicado em 11 de abril de 2024 às 07h09.

As pessoas estão vivendo mais do que nunca. À medida que a tecnologia médica avança e os medicamentos se tornam mais eficazes, as taxas de mortalidade também caem.

Embora isso seja um grande sucesso para a humanidade, sinalizando que nosso trabalho para melhorar a qualidade de vida valeu a pena, ele leva a outro problema: o esgotamento mental do cuidador de idosos.

"Observamos em ambientes clínicos que esses adultos que cuidam de idosos correm o risco de esgotamento e experimentam uma sensação de vulnerabilidade ao perceberem que também passarão por um processo de envelhecimento nos próximos 20 a 30 anos de suas vidas", disse John Wong, diretor do Mind Science Center da Universidade Nacional de Cingapura, à CNBC Make It.

Geração sanduíche

Além das pessoas viverem vidas mais longas, as taxas de fertilidade também caíram, levando a núcleos familiares menores.

Não só haverá novos desafios para os sistemas e economias atuais do mundo, como também haverá um grande impacto nas gerações futuras. Isso tende a levar a problemas de isolamento, pessoas idosas que se sentem inúteis, enquanto têm muito a oferecer à sociedade e às gerações mais jovens.

Embora o atendimento domiciliar aos idosos melhore seu bem-estar, ele também pode pressionar as gerações mais jovens.

A chamada geração sanduíche refere-se a pessoas de meia-idade que têm pais idosos para cuidar, bem como seus próprios filhos que ainda dependem deles. Além de cuidar de seus pais e filhos, tanto emocional quanto financeiramente, eles também precisam cuidar de si mesmos enquanto seguem suas carreiras.

Especialistas sugerem que, para evitar esse quadro de esgotamento mental das pessoas que cuidam dos idosos, a família deve se preparar com antecedência para o processo, manter sempre conversas honestas sobre a situação e, muito importante, nunca esquecer do autocuidado.

A Organização Mundial da Saúde estima que as pessoas com mais de 60 anos serão aproximadamente 22% da população global até 2050.

O número de pessoas com 65 anos ou mais em todo o mundo deve mais do que dobrar, passando de 761 milhões em 2021 para 1,6 bilhão em 2050, de acordo com um relatório de 2023 das Nações Unidas, acrescentando que a população de pessoas com 80 anos ou mais está crescendo ainda mais rápido.

Até 2050, espera-se que aproximadamente 40% das populações de Hong Kong, Coreia do Sul e Japão tenham 65 anos ou mais, estima o Fórum Econômico Mundial.

Acompanhe tudo sobre:Bem-estar

Mais de Mundo

Após assumir novo mandato presidencial na Rússia, Putin anuncia troca no Ministério da Defesa

ONU pede cessar-fogo 'imediato' para guerra em Gaza, que já deixa mais de 35.000 mortos

Não é só no RS: enchentes matam mais de 300 pessoas no Afeganistão, diz ONU

Por que Robert Kennedy pode ser fundamental para o resultado das eleições nos EUA?

Mais na Exame