Mundo

Entenda qual é a proposta da Colômbia para as eleições na Venezuela

Venezuela vem sendo acusada por organismos internacionais de violar direitos humanos e de perseguir dissidentes

Publicado em 19 de abril de 2024 às 07h31.

A crise política na Venezuela desperta a apreensão nos vizinhos sul-americanos. As manobras do governo de Nicolás Maduro de dificultar a inscrições de candidaturas da oposição na eleição de julho gerou críticas até do presidente Lula, aliado tradicional do venezuelano.

O presidente brasileiro está nesta semana na Colômbia e um dos pontos a serem discutidos com o colega Gustavo Petro é exatamente tentar resolver o impasse na Venezuela.

Segundo a BBC Brasil, o plano do colombiano consistiria em um acordo entre os principais atores políticos do país em que governo e oposição respeitem o resultado das eleições e se comprometam a não perseguir os grupos vencidos na disputa eleitoral, e um plebiscito no qual a população seria chamada a chancelar ou não o acordo.

O governo brasileiro tende a aceitar a proposta desde que ela seja aceita pelas partes venezuelanas envolvidas, segundo a BBC Brasil.

A Venezuela vem sendo acusada por organismos internacionais de violar direitos humanos e de perseguir dissidentes. Até o momento, pelo menos duas candidatas foram barradas: Marina Corina Machado, uma das principais líderes da oposição venezuelana; e Corina Yoris, apontada por Maria Corina para substituí-la nas urnas.

Maduro, que está no poder desde 2012 após a morte de Hugo Chávez, já prendeu importantes líderes da oposição, como Leopoldo Lopez e Antonio Ledezma.

O governo venezuelano rebate as acusações e afirma que o país é vítima de uma perseguição internacional.

A Venezuela vive uma crise política e econômica que resultou na saída de ao menos 7,5 milhões de pessoas desde 2018, segundo estimativas do Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas para Refugiados.

Desde 2018, quando o governo brasileiro deu início à Operação Acolhida para responder ao enorme fluxo de migrantes vindos da Venezuela, quase 1 milhão de venezuelanos entraram no país, a maioria pela cidade de Pacaraima, em Roraima. Hoje, Manaus e Curitiba são as cidades que mais recebem venezuelanos por meio do programa federal.

O número de venezuelanos que entrou no Brasil em 2023 chegou a marca de 192.021 pessoas, um aumento de 18% em relação a 2022.

Acompanhe tudo sobre:BrasilColômbiaVenezuelaRefugiados

Mais de Mundo

Por que o Brasil está fora do top 10 em ranking global de desenvolvimento do turismo

UE aprova acordo para utilizar lucros de ativos russos congelados para ajudar a Ucrânia

Após insultos de Milei, Espanha retira embaixadora da Argentina

Chanceler da Rússia culpa Estados Unidos pela queda do helicóptero do presidente do Irã

Mais na Exame