Empresa dos EUA retomará busca do voo MH370 da Malaysia Airlines

Voo MH370, com 239 pessoas a bordo, desapareceu na rota entre Kuala Lumpur e Pequim em março de 2014
Voo MH370: Austrália, China e Malásia encerraram uma infrutífera busca em janeiro do ano passado (Leut Ryan Davis/AFP/AFP)
Voo MH370: Austrália, China e Malásia encerraram uma infrutífera busca em janeiro do ano passado (Leut Ryan Davis/AFP/AFP)
Por ReutersPublicado em 05/01/2018 12:09 | Última atualização em 05/01/2018 12:09Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Kuala Lumpur - A Malásia autorizará uma empresa de exploração norte-americana a retomar as buscas pelo voo MH370 da Malaysia Airlines, disse um grupo de apoio aos familiares das vítimas nesta sexta-feira, na tentativa de solucionar um dos maiores mistérios da história da aviação.

O voo MH370, com 239 pessoas a bordo, desapareceu na rota entre Kuala Lumpur e Pequim em março de 2014.

Austrália, China e Malásia encerraram uma infrutífera busca em janeiro do ano passado.

Um email, enviado pelo Centro MH de Apoio à Família e visto pela Reuters, informou que o governo aceitou uma oferta da Ocean Infinity para reiniciar a busca mediante um acordo em que a empresa somente será paga se encontrar o avião.

Um porta-voz do governo não quis confirmar que um email foi enviado às famílias, mas disse que mais detalhes sobre o acordo surgirão em breve. A Ocean Infinity não respondeu de imediato a pedidos de comentário.

Na quarta-feira a companhia disse que aproximou uma embarcação de uma possível área de busca. A embarcação partiu de Durban, na África do Sul, na terça-feira, e seguia para Perth, na Austrália, mostraram dados de tráfego marítimo da Reuters.

Investigadores acreditam que alguém pode ter desligado o transponder do Boeing 777 deliberadamente e depois o desviado para o Oceano Índico.

Vários fragmentos de uma aeronave foram encontrados em ilhas do Índico e ao longo do litoral leste africano, e se confirmou que ao menos três pertenciam ao avião desaparecido.