Mundo

Cruz Vermelha investiga desaparecimento de 23 mil pessoas em guerra na Ucrânia

Organização busca por pessoas desaparecidas "capturadas, mortas ou separadas" de seus familiares, sejam eles russos ou ucranianos

Organização busca por pessoas desaparecidas (AFP/AFP)

Organização busca por pessoas desaparecidas (AFP/AFP)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 19 de fevereiro de 2024 às 12h59.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) anunciou nesta segunda-feira, 19, que está investigando o desaparecimento de 23 mil pessoas em decorrência do conflito entre Rússia e Ucrânia, que eclodiu há quase dois anos.

"Não ter notícias de um ente querido é um verdadeiro suplício, uma angústia permanente. Esta é a trágica realidade de dezenas de milhares de familiares", afirmou Dusan Vujasanin, chefe do Gabinete da Agência Central de Buscas do CICV, criado em março de 2022, logo após o início do conflito. "Eles têm o direito de saber o que aconteceu e, na medida do possível, se comunicar com eles."

Busca que não cessa

A organização busca por pessoas desaparecidas "capturadas, mortas ou separadas" de seus familiares tanto na Ucrânia quanto na Rússia. Segundo o CICV, nos últimos anos a instituição recebeu mais de 115 mil pedidos de buscas de familiares em ambos os países.

"Até 31 de janeiro de 2024, o CICV (...) ajudou 8.000 famílias a obter informações sobre o destino ou o paradeiro de seus entes queridos", acrescentou o comunicado.

(Com AFP)

Acompanhe tudo sobre:Cruz VermelhaRússiaUcrâniaGuerras

Mais de Mundo

Muro 'anti-Haiti' vira bandeira eleitoral na República Dominicana

Grécia vai construir a maior 'cidade inteligente' da Europa, com casas de luxo e IA no controle

Seis mortos na Nova Caledônia, onde Exército tenta retomar controle do território

Guerra nas estrelas? EUA ampliam investimentos para conter ameaças em órbita

Mais na Exame