Mundo

Coreia do Norte testa novos mísseis e espera vender tecnologia à Rússia

Novo sistema de mísseis ameaça a Coreia do Sul e pode aumentar força de Putin na Ucrânia

Putin e Kim reforçaram as relações nos últimos meses, o que preocupa o Ocidente (Photo by Contributor/Getty Images/Getty Images)

Putin e Kim reforçaram as relações nos últimos meses, o que preocupa o Ocidente (Photo by Contributor/Getty Images/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 26 de abril de 2024 às 07h11.

O ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, supervisionou novos testes de um sistema de mísseis que pode ampliar o poder de força de Pyongang para atacar Seul. Segundo a Bloomberg, Kim também espera vender essa nova tecnologia bélica para a Rússia usar na guerra contra a Ucrânia.

Kim assistiu ao teste de um lançador de foguetes que “traria uma mudança estratégica no reforço da força de artilharia do Exército do Povo Coreano”, informou a Agência Central de Notícias oficial da Coreia do Norte nesta sexta-feira. Foi o segundo teste desse sistema neste ano. Esse lançador projeta os mísseis para alcançarem até 60 quilômetros.

O ministro da Defesa sul-coreano, Shin Wonsik, disse que os recentes testes de armas supervisionados por Kim poderiam fazer parte de um ensaio do ditador para exportar armas à Rússia na guerra contra a Ucrânia.

EUA, Coreia do Sul e outros países acusaram a Coreia do Norte de enviar uma grande quantidade de munição e mísseis balísticos de curto alcance com capacidade nuclear para o Kremlin. Pyongyang e Moscou negaram as acusações.

O ministro sul-coreano afirmou que a Rússia, em troca, está fornecendo à alimentos, matérias-primas e peças utilizadas na fabricação de arma para a Coreia do Norte. Essa ajuda de Moscou ajudou a estabilizar os preços de produtos de primeira necessidade. Caso o comércio de armas se intensifique, a Rússia provavelmente enviará mais tecnologia militar a Kim, aumentando a ameaça de Pyongyang para a região.

Acompanhe tudo sobre:Coreia do NorteKim Jong-unVladimir PutinRússia

Mais de Mundo

Egito quer penalizar empresas turísticas pelas mortes de peregrinos em Meca

Governo colombiano inicia diálogo com dissidência das Farc

Ministro alemão diz que tarifas da UE a carros elétricos chineses não são punitivas

Dez freiras espanholas foram excomungadas pelo Vaticano; entenda

Mais na Exame