Mundo

Ciclone Remal toca o solo em Bangladesh; quase 1 milhão de pessoas em abrigos

Ciclones mataram centenas de milhares de pessoas em Bangladesh nas últimas décadas, mas o número de tempestades na costa aumentou nas últimas décadas

Bangladesh: país preparou quase 4.000 refúgios ao longo da costa no Golfo de Bengala (Munir UZ ZAMAN/AFP Photo)

Bangladesh: país preparou quase 4.000 refúgios ao longo da costa no Golfo de Bengala (Munir UZ ZAMAN/AFP Photo)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 26 de maio de 2024 às 15h33.

Um ciclone tocou o solo neste domingo, 26, em Bangladesh, onde quase um milhão de pessoas, incluindo regiões da vizinha Índia, abandonaram as suas cidades costeiras para procurar abrigo em áreas do interior do país, informaram as autoridades.

"O intenso ciclone Remal começou a atravessar a costa", disse à AFP o diretor do departamento meteorológico de Bangladesh, Azizur Rahman. Ele informou que a tempestade pode prosseguir na região até a madrugada de segunda-feira.

"Até o momento registramos ventos de até 90 quilômetros por hora", acrescentou. Esta intensidade para ventos sustentados situa o Remal na categoria de tempestade tropical, mas já foram detectadas rajadas de 130 km/h.

Os ciclones mataram centenas de milhares de pessoas em Bangladesh nas últimas décadas, mas o número de tempestades que atingem a costa densamente habitada do país aumentou consideravelmente nos últimos anos, de uma para três por ano, devido ao impacto da mudança climática.

"O ciclone pode desencadear uma ondulação de até quatro metros acima da maré normal, o que pode ser perigoso", disse à AFP Muhammad Abul Kalam Mallik, do departamento de meteorologia.

A maior parte das áreas costeiras de Bangladesh fica um ou dois metros acima do nível do mar.

"Estamos aterrorizados", declarou Yusuf Fakir em Kuakata, uma cidade do extremo sul de Bangladesh, na rota prevista da tempestade, antes da chegada do ciclone.

O pescador de 35 anos decidiu permanecer na localidade para proteger os bens da família, mas enviou a mulher e os filhos para a casa de um parente no interior.

Ao menos 800 mil pessoas fugiram das suas cidades na costa e mais de 50 mil pessoas na Índia seguiram para o interior, procedentes da região de Sundbarbans, onde os rios Ganges, Brahmaputra e Meghna deságuam no mar, informaram as autoridades.

Treze pessoas ficaram feridas depois que uma balsa que transportava mais de 50 passageiros – o dobro de sua capacidade – naufragou perto de Mongla, um porto na trajetória da tempestade, afirmou a polícia.

Uma pessoa morreu afogada no mar agitado na tarde de domingo, disse à AFP o administrador do governo distrital, Nur Kutubul Alam.

Kamrul Hasan, secretário de gestão de catástrofes do governo de Bangladesh, afirmou que as pessoas receberam ordens para abandonar casas "inseguras e vulneráveis".

O país preparou quase 4.000 refúgios ao longo da costa no Golfo de Bengala.

Acompanhe tudo sobre:BangladeshDesastres naturais

Mais de Mundo

Trump pede apoio de evangélicos nas eleições de novembro

Bombardeio aéreo russo atinge prédio residencial e deixa três mortos e 37 feridos, afirma Ucrânia

Egito quer penalizar empresas turísticas pelas mortes de peregrinos em Meca

Governo colombiano inicia diálogo com dissidência das Farc

Mais na Exame