Mundo

China prepara venda de US$ 140 bilhões em títulos para estimular a economia

Ministério das Finanças disse que os primeiros títulos seriam emitidos na sexta-feira

Pequim vendeu títulos de longo prazo em 2020 para tentar controlar a pandemia e modernizar a infraestrutura (Peng Song/Getty Images)

Pequim vendeu títulos de longo prazo em 2020 para tentar controlar a pandemia e modernizar a infraestrutura (Peng Song/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 13 de maio de 2024 às 06h25.

Autoridades chinesas iniciaram planos para vender 1 bilhão de yuans (US$ 140 bilhões) em títulos de longo prazo à medida que Pequim aumenta gastos para estimular a economia. Segundo o Financial Times, o Banco Popular da China pediu conselhos a corretores sobre o preço da venda do primeiro lote de títulos soberanos.

Pequim anunciou planos para a venda de títulos durante a sessão anual do Legislativo em março, dizendo que apoiaria o investimento em áreas críticas no segundo trimestre em meio a uma prolongada crise imobiliária.

“A venda de títulos é uma parte dos esforços para apoiar projetos significativos, urgentes e desafiadores que são essenciais para a modernização da economia”, disse Liu Sushe, vice-chefe da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, num briefing público divulgado no mês passado.

A venda ocorre depois de os bancos regionais da China terem acumulado títulos soberanos de longo prazo no primeiro trimestre deste ano – conduzindo o custo dos empréstimos governamentais para mínimos históricos – enquanto procuravam um refúgio contra a volatilidade nos mercados de ações e imobiliários da China.

A China vendeu títulos de longo prazo semelhantes em 2020, quando foram levantados 1 bilhão de yuans para tentar controlar a pandemia de Covid-19 e impulsionar os investimentos em infraestrutura. Espera-se que os títulos vendidos desta vez tenham vencimentos prolongados como forma de financiar projetos de longo prazo e, ao mesmo tempo, aliviar o peso da dívida dos governos locais.

Os novos títulos diferem dos títulos governamentais normais porque o dinheiro arrecadado é para fins específicos. Essa é a quarta rodada de emissão especial desses títulos soberanos depois de uma ação em 1998 para recapitalizar os bancos estatais e de 2007 para criar o seu fundo soberano.

Segundo o FT, o Ministério das Finanças convocou os dirigentes dos principais bancos do país para uma reunião na segunda-feira para organizar a aprovação dos títulos de longo prazo. Nesta segunda-feira, a pasta disse que os primeiros títulos seriam emitidos na sexta-feira.

Acompanhe tudo sobre:China

Mais de Mundo

Para aumentar inovação, Xangai emite regulamento para gestão de projetos de tecnologias disruptivas

Aprovação de Lei de Bases marca nova fase de Milei, diz analista argentino

Irã está expandindo suas capacidades nucleares, diz agência de energia atômica da ONU

Inflação na Argentina cai pela metade e atinge 4,2% em maio

Mais na Exame