Mundo

China espera fluxo diário de mais de 270 milhões de pessoas em feriado do Dia do Trabalho

Estima-se que durante o feriado, o fluxo diário de pessoas viajando entre regiões ultrapassará os 270 milhões, superando os níveis do mesmo período em 2023 e 2019

China2Brazil
China2Brazil

Agência

Publicado em 29 de abril de 2024 às 17h10.

Tudo sobreChina
Saiba mais

À medida que o feriado do Dia do Trabalho se aproxima, o Ministério dos Transportes da China realizou uma coletiva de imprensa em 29 de abril, onde autoridades relevantes afirmaram que durante o feriado deste ano, é esperado um fluxo diário de mais de 270 milhões de pessoas viajando entre regiões na China, sendo as viagens rodoviárias ainda a principal opção.

Estima-se que durante o feriado, o fluxo diário de pessoas viajando entre regiões ultrapassará os 270 milhões, superando os níveis do mesmo período em 2023 e 2019, com cerca de 80% das viagens sendo feitas de carro próprio.

Com um tráfego rodoviário concentrado, com muitas viagens interprovinciais. Estima-se que durante o feriado do Dia do Trabalho desse ano, o volume diário de tráfego nas rodovias expressas do país será de aproximadamente 63,5 milhões de veículos, 1,8 vezes maior do que em dias normais, com um pico de tráfego previsto de 67 milhões de veículos, caracterizado por uma mistura de viagens curtas dentro da província e viagens de distâncias médias e longas entre províncias.

O volume de transporte de passageiros comerciais é esperado ultrapassar os 57 milhões de pessoas por dia, superando os níveis do mesmo período em 2023 e alcançando 90% dos níveis de 2019, com o transporte ferroviário e aéreo de passageiros ultrapassando os níveis de 2019.

Fonte: news.dayoo.com

Acompanhe tudo sobre:China

Mais de Mundo

Chanceler israelense ameaça Hezbollah libanês com 'guerra total'

Alemanha alerta risco de ataques terroristas semelhantes ao de Moscou

Sob críticas da Otan, Putin desembarca na Coreia do Norte para estreitar parceria 'estratégica'

Milei perde apoio em 18 de 24 municípios da Grande Buenos Aires, mostra pesquisa

Mais na Exame