China declara fim do pico do coronavírus; mundo tem mais de 430 mil casos

Em meio ao pânico global causado pela pandemia do novo coronavírus, uma boa notícia sobre o combate da doença vem da China

São Paulo – Em meio ao pânico global causado pela pandemia do novo coronavírus, uma boa notícia veio da China, país onde a doença surgiu em dezembro do ano passado: o país anunciou no dia 12 de março que o pico de casos de COVID-19 já passou.

"Falando em termos gerais, o pico da epidemia passou na China", disse Mi Feng, porta-voz da Comissão Nacional de Saúde. "O aumento de casos novos está caindo".

Zhong Nanshan, o principal assessor médico do governo chinês, disse em uma coletiva de imprensa realizada que, contanto que os países levem os surtos a sério e estejam preparados para adotar medidas firmes, ele pode acabar em todo o mundo em questão de meses.

"Meu conselho é conclamar todos os países a seguirem as instruções da OMS (Organização Mundial da Saúde) e intervir em escala nacional", disse. "Se todos os países se mobilizarem, pode acabar até junho". As informações são da agência Reuters.

Enquanto na China, o número de infectados parece cair, mundo afora o número de casos confirmados do novo coronavírus já passa de 435 mil. Até esta quarta-feira, 25, o monitoramento feito pela Universidade Johns Hopkins mostrava 435.006
casos confirmados da covid-19, como ficou conhecida a doença causada pelo vírus.

A Itália é o segundo país mais afetado pela epidemia, com cerca de 69 mil casos, e os Estados Unidos vêm em terceiro, com mais de 55 mil.

O número é diferente do divulgado pela Organização Mundial da Saúde. De acordo com a entidade, há cerca de 375
mil casos confirmados mundo afora.

O levantamento da OMS também mostra uma ordem diferente no ranking de países com mais casos de coronavírus. De acordo com a organização, o segundo e o terceiro lugar são Itália e Espanha, seguidos do Irã. Os Estados Unidos aparecem apenas em quinto lugar.

As últimas notícias da pandemia do novo coronavírus

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.