Mundo

Chanceler do Iêmen pede por intervenção do Golfo Pérsico

Governo teme avanços territoriais de militantes houthi, opositores ao presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 23 de março de 2015 às 12h09.

Cairo - O ministro das Relações Exteriores do Iêmen, Riyadh Yassen, pediu nesta segunda-feira por uma intervenção militar de países do Golfo Pérsico no Iêmen para impedir avanços territoriais de militantes houthi, opositores ao presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi.

"Eles estão se expandindo em território, ocupando aeroportos e cidades, atacando Áden com aviões, prendendo quem eles querem, ameaçando e juntando forças", disse o chanceler durante entrevista com a rede Al Jazeera.

"Nós expressamos ao Conselho de Cooperação do Golfo, à ONU, assim como à comunidade internacional, que deveria haver uma zona de exclusão aérea, e o uso de aeronaves militares deveria ser prevenido nos aeroportos controlados pelos houthis", disse ao jornal árabe al-Sharq al-Awsat.

Acompanhe tudo sobre:Al JazeeraEmpresasIêmenONU

Mais de Mundo

Primeira viagem de Milei à Espanha como presidente não terá honras militares e coletiva de imprensa

Suprema Corte dos EUA confirma proibição de posse de armas a agressores domésticos

Tribunal impõe penas de prisão à família mais rica do Reino Unido por exploração de funcionários

Dez prefeitos da oposição na Venezuela são inabilitados por 15 anos após apoio a Edmundo González

Mais na Exame