Mundo

Busca por avião da Malásia muda totalmente após nova pista

Busca foi redirecionada para uma área 1.100 quilômetros ao norte daquela que vinha sendo vasculhada


	Força Aérea da Austrália em busca por avião: nova área de buscas é maior, porém mais perto da costa australiana, permitindo que os aviões envolvidos passem mais tempo na região
 (Royal Australian Air Force/Handout via Reuters)

Força Aérea da Austrália em busca por avião: nova área de buscas é maior, porém mais perto da costa australiana, permitindo que os aviões envolvidos passem mais tempo na região (Royal Australian Air Force/Handout via Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 28 de março de 2014 às 10h41.

Sydney/Perth - A força-tarefa internacional aeromarítima que busca os destroços do voo MH370 da Malaysia Airlines foi redirecionada na sexta-feira para uma área 1.100 quilômetros ao norte daquela que vinha sendo vasculhada por mais de uma semana.

A decisão foi tomada depois que as autoridades australianas receberam novas informações de radar da Austrália, mostrando que o avião desaparecido voava mais rapidamente do que se imaginava, e que por isso teria ficado sem combustível antes.

A nova área de buscas é maior, porém mais perto da costa australiana, permitindo que os aviões envolvidos passem mais tempo na região. Ela é também bem mais favorável em termos climáticos do que a zona anteriormente focada, em torno do paralelo 40, onde tempestades são frequentes.

As autoridades disseram que as buscas na área anterior foram abandonadas.

Durante mais de uma semana, embarcações e aviões de patrulha vinham procurando destroços cerca de 2.500 quilômetros a sudoeste da cidade de Perth, onde imagens de satélite indicavam a possível presença de destroços do MH370, que desapareceu em 8 de março na rota Kuala Lumpur-Pequim, com 239 pessoas a bordo.

Dez aeronaves usadas na sexta-feira foram imediatamente deslocadas para a nova área, que tem 319 mil quilômetros quadrados e fica cerca de 1.850 quilômetros a oeste de Perth. A Organização Australiana de Inteligência Geoespacial também está redirecionando seus satélites para lá.

Já os navios australianos e chineses presentes na primeira zona de buscas levarão mais tempo para serem deslocados. O navio australiano HMAS Success só deve chegar lá na manhã de sábado.

A mudança se baseia na análise dos dados de radar entre o mar do sul da China e o estreito de Malacca, que separa a Malásia da Indonésia, segundo o Departamento Australiano de Segurança dos Transportes.

O voo MH370 voou durante cerca de uma hora na sua rota prevista, antes de fazer uma curva repentina e começar a voltar. Seus instrumentos de localização e comunicação foram misteriosamente desativados, e a última posição dele foi registrada por radares militares.

Acompanhe tudo sobre:acidentes-de-aviaoAviõesBoeing 777MalásiaMalaysia AirlinesTransportesVeículosVoo MH370

Mais de Mundo

Bandeira invertida coloca Suprema Corte dos EUA em apuros

Primeiro-ministro eslovaco passa por nova cirurgia e segue em estado grave

Vaticano alerta contra episódios imaginários relacionados a milagres e aparições

Governo Biden quer reclassificar maconha como droga de menor risco

Mais na Exame