Mundo

Brasil é 3º país mais inseguro da América do Sul, diz Global Peace Index

Ranking aponta que Brasil está atrás de Colômbia e Venezuela; Islândia é o país mais seguro do mundo

 (Mongkol Nitirojsakul / EyeEm/Getty Images)

(Mongkol Nitirojsakul / EyeEm/Getty Images)

Rafael Balago
Rafael Balago

Repórter de macroeconomia

Publicado em 16 de junho de 2024 às 06h01.

Última atualização em 17 de junho de 2024 às 13h42.

O Brasil é um dos 50 países mais perigosos do mundo, e o terceiro pior da América Latina, mostra o Global Peace Index 2024, divulgado nesta semana.

O estudo, produzido pelo Institute for Economics and Peace (IEP), se baseia em 23 indicadores para aferir o nível de segurança em 163 países do mundo. Os indicadores são baseados em três eixos: conflitos em curso, medidas de segurança e proteção, e militarização.

Neste ranking, que lista os países mais bem colocados em segurança, o Brasil aparece na posição 131. Na América do Sul, Venezuela (142º) e Colômbia (146º) estão em situação pior que a do Brasil. Já a Argentina foi considerado o melhor país da região (46º na posição geral), seguida por Uruguai (52º) e Chile (64º).

No mundo todo, a Islândia foi apontada como o país mais seguro do mundo, seguido por Irlanda e Áustria. Veja as listas ao final da reportagem.

Entre os piores, estão Iêmen, Sudão e Sudão do Sul, países atingidos por guerras civis. O top 10 dos países mais inseguros contém Afeganistão, Ucrânia, Rússia e Israel.

Na América Latina, houve destaque para a melhora de El Salvador, que teve o melhor avanço no índice e subiu 21 posições, mas ocupa o 107º lugar. O país teve quedas nas taxas de homicídios e aumento na percepção de segurança. O presidente Nayib Bukele, reeleito este ano, adotou uma política de linha dura contra o crime, que inclui a construção de megaprisões e a retirada de direitos civis.

Mundo em conflito

“Na última década, a paz diminuiu em nove dos dez anos. Atingimos um número recorde de conflitos, com um aumento da militarização e a uma maior concorrência estratégica internacional, que afetam negativamente a economia mundial e aumenta o risco de novos embates, além de agravar a desigualdade social” afirma Steve Killelea, fundador e presidente do IEP, em comunicado.

A entidade aponta que há 56 conflitos ativos no mundo, entre guerras civis e entre países diferentes. Ao mesmo tempo, 92 países estão engajados em algum conflito militar fora de suas fronteiras, o maior número desde 2008.

O IEP estima que a violência tenha gerado um impacto de US$ 19,1 trilhões no mundo todo em 2023, usando o indicador de paridade de poder de compra, sendo que a maior parte desse valor se refere a gastos militares e com segurança interna. Ao mesmo tempo, a violência reduz a atividade econômica, como na Ucrânia. Após a invasão russa, o PIB do país caiu 30% em 2022. Na Síria, a guerra civil levou à uma queda de 85% do PIB, segundo o estudo.

Os 10 países mais seguros do mundo

1 Islândia
2 Irlanda
3 Áustria
4 Nova Zelândia
5 Singapura
6 Suíça
7 Portugal
8 Dinamarca
9 Eslovênia
10 Malásia

Os 10 países mais perigosos do mundo

155 Israel
156 Síria
157 Rússia
158 República Democrática do Congo
159 Ucrânia
160 Afeganistão
161 Sudão do Sul
162 Sudão
163 Iêmen

Os 10 países mais seguros da América do Sul

1 Argentina
2 Uruguai
3 Chile
4 Bolívia
5 Paraguai
6 Peru
7 Guiana
8 Equador
9 Brasil
10 Venezuela
11 Colômbia

Acompanhe tudo sobre:Segurança públicaViolência urbanaGuerras

Mais de Mundo

Convenção Republicana: da Ilha da Fantasia direto para a Casa Branca

Delta e American Airlines retomam voos após apagão online global

OMS confirma detecção do vírus da poliomielite no sul e no centro de Gaza

Europa está em alerta vermelho por intensa onda de calor com incêndios e invasões de gafanhotos

Mais na Exame