Mundo

Bombardeio russo contra cidade ucraniana de Chernigiv deixa 8 mortos e 18 feridos

Território atacado foi ocupado parcialmente no início da invasão russa contra a Ucrânia em 2022

Ucrânia: ataque russo deixa aos menos oito mortos (AFP/AFP)

Ucrânia: ataque russo deixa aos menos oito mortos (AFP/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 17 de abril de 2024 às 07h20.

Ao menos oito pessoas morreram e 18 ficaram feridas em um bombardeio russo na cidade de Chernigiv, norte da Ucrânia, informou o prefeito da localidade nesta quarta-feira, 17.

A cidade, que fica em uma região de mesmo nome e na fronteira com Belarus, foi ocupada parcialmente no início da invasão russa contra a Ucrânia em 2022, mas não registrou combates violentos nos últimos dois anos, após a retirada das tropas de Moscou.

"Oito pessoas morreram e 18 ficaram feridas após o impacto dos mísseis russos em Chernigiv. As operações de busca continuam", afirmou o prefeito Oleksandr Lomako no Telegram.

Lomako afirmou à imprensa oficial que o bombardeio atingiu uma área "muito populosa" da cidade, incluindo um edifício civil. "Três explosões aconteceram na cidade às 9H03 locais" (4H03 de Brasília), informou o prefeito ao canal de televisão estatal.

O governador da região, Viacheslav Chaus, anunciou que os bombardeios atingiram o centro de Chernigiv e que as equipes de emergência estão no local. Chernigiv fica 145 quilômetros ao norte da capital ucraniana e tinha 285.000 habitantes antes da guerra.

A localidade sofreu danos consideráveis quando os tanques russos avançaram a partir de Belarus para invadir a ex-república soviética em fevereiro de 2022.

A Rússia bombardeia a Ucrânia sem trégua com mísseis e drones explosivos, enquanto as forças de Kiev enfrentam uma escassez de munição para interceptar os ataques devido aos atrasos na entrega de ajuda das potências ocidentais.

Acompanhe tudo sobre:UcrâniaRússia

Mais de Mundo

Como é morar na cidade mais fria do mundo? Temperaturas chegam a -64ºC

Espanha, Irlanda e Noruega vão reconhecer formalmente o Estado Palestino

'Ozempic falso': Austrália proíbe cópias de medicamentos para perda de peso

Economia chinesa continua a se recuperar e melhorar, diz porta-voz do governo

Mais na Exame