Mundo

Bélgica abre investigação sobre suposta 'interferência' russa no Parlamento Europeu

Inteligência belga acredita que a Rússia pretende eleger mais candidatos pró-russos durante as eleições de junho

Bélgica: país investiga suposta "interferência" da Rússia em instituições da UE (Yves Herman/Reuters)

Bélgica: país investiga suposta "interferência" da Rússia em instituições da UE (Yves Herman/Reuters)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 12 de abril de 2024 às 12h23.

Última atualização em 12 de abril de 2024 às 14h03.

O primeiro-ministro da Bélgica, Alexander De Croo, anunciou nesta sexta-feira, 12, que promotores federais do país iniciaram uma investigação sobre a suposta "interferência" da Rússia em instituições da União Europeia, especialmente no Parlamento Europeu.

"Nossas autoridades judiciais confirmaram que essa interferência está sujeita à ação dos promotores", disse De Croo durante uma entrevista coletiva.

A investigação será feita com base em denúncias sobre uma rede de influência financiada pela Rússia que teria corrompido membros do Parlamento Europeu para a divulgação de propaganda pró-Russia. "Os pagamentos em dinheiro não aconteceram na Bélgica, mas a interferência sim", afirmou o chefe do governo belga.

Uma fonte da promotoria confirmou à AFP que a investigação formal foi aberta na quinta-feira, mas não forneceu detalhes. De Croo apontou que, de acordo com os serviços de inteligência da Bélgica, a Rússia pretende "ajudar a eleger mais candidatos pró-russos" durante as eleições do Parlamento Europeu, realizadas de 6 a 9 de junho.

"Reforçar o discurso pró-russo dentro dessa instituição é extremamente preocupante", disse, acrescentando: "Como a Bélgica é a sede das instituições europeias, temos a responsabilidade de defender o direito de cada cidadão a um voto livre e seguro".

A questão da interferência russa nas eleições parlamentares estará na agenda da cúpula de líderes prevista para a próxima quarta e quinta-feira, em Bruxelas, informou o primeiro-ministro belga.

Em março, a República Tcheca anunciou a descoberta e desmantelado de uma rede financiada pela Rússia para promover propaganda sobre a guerra na Ucrânia.

Acompanhe tudo sobre:BélgicaRússiaUnião Europeia

Mais de Mundo

Economia chinesa continua a se recuperar e melhorar, diz porta-voz do governo

Governo argentino suspende sites e redes sociais de rádio e TV públicas

China aumenta investimentos na Alemanha com foco em energias renováveis

China emitirá 1 trilhão de yuans em títulos especiais de longo prazo em 2024

Mais na Exame