Mundo

UE amplia sanções contra Hamas por violações cometidas em ataque terrorista de 7 de outubro

Pessoas incluídas no regime estão sujeitas ao congelamento de bens e proibidas de disponibilizar fundos ou recursos econômicos

Guerra Israel-Hamas: conflito teve início em 7 de outubro de 2023 (MOHAMMED ABED /AFP)

Guerra Israel-Hamas: conflito teve início em 7 de outubro de 2023 (MOHAMMED ABED /AFP)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 12 de abril de 2024 às 16h39.

Última atualização em 12 de abril de 2024 às 16h46.

A União Europeia decidiu nesta sexta, 12, listar três entidades em seu regime de sanções por violações de direitos humanos, tendo em conta suas responsabilidades nos ataques terroristas que ocorreram em Israel em 7 de outubro de 2023, com foco nos abusos sexuais.

Segundo comunicado com a decisão, as entidades são as Brigadas Al-Quds, o braço armado da organização Jihad Islâmica Palestina; Força Nukhba, uma unidade de forças especiais do Hamas; e as Brigadas Qassam, o braço militar do Hamas.

As pessoas incluídas no regime de sanções estão sujeitas ao congelamento de bens, sendo proibido disponibilizar fundos ou recursos econômicos, direta ou indiretamente, a elas ou em seu benefício. Além disso, uma proibição de viajar para a UE aplica-se às pessoas listadas.

O Conselho Europeu apelou também para que se acelerasse os trabalhos sobre a adoção de novas medidas restritivas relevantes contra o Hamas.

Acompanhe tudo sobre:HamasGuerrasIsraelConflito árabe-israelenseUnião Europeia

Mais de Mundo

Como a IA pode afetar a eleição nos EUA?

Otan anuncia ‘muro de drones’ em sua fronteira com a Rússia após nova provocação de Moscou

Tratado para preparar o mundo para a próxima pandemia termina sem acordo

Onda de calor: México registra 48 mortes devido às altas temperaturas

Mais na Exame