Dólar pode ir a R$ 7,35 ao fim de 2021 em cenário pessimista, diz UBS

Dentro desse mesmo cenário, a moeda fecharia 2020 a 5,75 reais, 4,54% acima da máxima alcançada nesta quinta, de 5,52 reais

O dólar poderia chegar a 7,35 reais ao fim de 2021 no pior dos cenários considerados pelo UBS, disse o banco nesta quinta-feira.

Dentro desse mesmo cenário, a moeda fecharia 2020 a 5,75 reais, 4,54% acima da máxima alcançada nesta sessão, de 5,52 reais. O dólar sobe 4,9% apenas nesta semana.

O cenário pessimista considera o CDS indo a 450 pontos-base, a manutenção dos diferenciais de juros nos atuais níveis, mas com mais prêmio de risco.

O CDS de cinco anos está em torno de 318 pontos-base. E os diferenciais de juros de um ano entre Brasil e EUA estão nas mínimas recordes perto de 2,75 pontos percentuais.

A cotação de 7,35 reais representaria um salto de 35,9% do dólar em relação à taxa de fechamento da véspera (5,4094 reais).

Em parte, a possibilidade de mais desvalorização da moeda brasileira, segundo o UBS, é amparada por cálculos que tomam como base a variação da taxa real efetiva de câmbio entre o fim de março de 2020 e a mínima de 2002. Apesar da desvalorização do real nos últimos anos, o câmbio real efetivo do fim de março ainda estava 42% mais forte que no piso de 2002, segundo o UBS.

Levando-se em conta cálculos correlacionando a cotação real/dólar e taxa real efetiva de câmbio, “uma queda adicional de 32% na taxa de câmbio nominal do real contra o dólar ante os atuais valores está dentro do intervalo histórico da taxa efetiva real”, disseram os economistas Tony Volpon e Fabio Ramos em nota.

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.